Home > Notícias

NYT: investigador da HP acusado de espionagem assumirá culpa na corte

Jornal afirma que Bryan Wagner, acusado de conspiração e roubo de identidade, se assumir culpado no caso frente à Justiça dos EUA

Por Robert Mullins, para o IDG Now!*

12/01/2007 às 12h45

Foto:

Jornal afirma que Bryan Wagner, acusado de conspiração e roubo de identidade, se assumir culpado no caso frente à Justiça dos EUA

Um investigador privado acusado de conexão com o caso de espionagem na HP é esperado na Corte Distrital Federal dos Estados Unidos, nesta sexta-feira (11/01) para, de acordo com fontes federais, se assumir culpado das acusações feitas na quarta-feira.

Bryan Wagner está programado para aparecer na corte federal em San jose, na Califórnia, de acordo com o escritório de promotoria de São Francisco.

Ali, ele deverá se assumir culpado das acusações de forjar identidade de um jornalista para obter seus registros telefônicos para uma operadora, afirmou o jornal The New York Times nesta quinta.

Uma chamada ao advogado de defesa de Wagner, Stephen Naratil, não foi retornada até a noite desta quinta-feira.

Wagner foi acusado de agravar o roubo de identidade e conspiração por seu suposto papel no escândalo na qual a HP contratou uma empresa privada de investigação para investigar a fonte de vazamentos de deliberações do conselho para a mídia.

Empresas privadas de investigação em Massachusetts e Flórida contraram Wagner para o trabalho. Ele alegadamente usou falsas credenciais, prática chamada de "pretexo", para convencer operadoras a divulgar registros telefônicos de repórteres, membros do conselho da HP e outros alvos da investigação da empresa.

Wagner é também uma das cinco pessoas encarando acusações estaduais da Califórnia graças a conexões com o escândalo. Nenhum data para os julgamentos foi marcada para nenhum dos casos.

Também foram acusados dentro do estado a ex-presidente do conselho da HP, Patricia Dunn, e o ex-conselheiro legal Kevin Hunsaker, ambos forçados a abandonar seus empregos em 2006 graças ao escândalo corporativo.

De acordo com Kevin Ryan, promotor do Distrito de Northern, na Califórnia, Wagner poderá pegar cinco anos de prisão e multa de 250 mil dólares pela acusação de conspiração, e dois anos de prisão e multa de 250 mil dólares na acusação de agravar roubo de identidade.

*Robert Mullins é editor do IDG News Service, em São Francisco.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail