Home > Notícias

Apple é investigada por promotores federais nos EUA por venda de ações

Após reconhecer as transações irregulares de ações, sob a supervisão de Steve Jobs, companhia é investigada pela Justiça

Por Robert McMillan, para o IDG Now!*

15/01/2007 às 11h45

Foto:

Após reconhecer as transações irregulares de ações, sob a supervisão de Steve Jobs, companhia é investigada pela Justiça

O Escritório de Promotoria do Distrito Norte da Califórnia está investigando as práticas de alteração nas datas de compras de ações por funcionários da Apple nos Estados Unidos.

A ação federal está sendo aberta após a própria companhia ter revelado no mês passado que completou uma investigação interna sobre as práticas e concluiu que, embora o chief executive officer (CEO) Steve Jobs tenha recomendado a alteração na data de compras de ações para empregados da Apple e para si próprio, ele não tinha consciência das implicações contábeis de tais atos.

Mais sobre iPhone:
>Fotos: conheça o iPhone
>20 perguntas sem respostas do iPhone
>7 respostas para 20 dúvidas do iPhone
>Apple lança o iPhone

Luke Macaulay, porta voz do Escritório de Promotoria em São Francisco, confirmou a existência da investigação, mas não deu detalhes adicionais.

Em 29 de dezembro a Apple comunicou a Securities & Exchange Commission (SEC), órgão dos Estados Unidos equivalente à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que uma suposta reunião de conselho em outubro de 2001, na qual Jobs teve acesso a 7,5 milhões de opções de compra de ações, nunca aconteceu e as ações só foram concedidas em dezembro daquele ano.

Ao mudar a data de compra das ações, Jobs teve um lucro imediato de 20 milhões de dólares, porque as ações da Apple valiam menos em outubro que em dezembro.

No mesmo comunicado, a empresa de Cupertino, Califórnia, disse que teria despesas de 84 milhões de dólares em despesas com impostos para corrigir os erros de contabilidade. A Apple reconheceu ter alterado as datas de aquisição de 6,4 mil ações, entre 1997 e 2002.

“O conselho está confiante que a companhia corrigiu os problemas que levaram à revisão, e tem plena confiança em Steve Jobs como responsável pelo time de gestão”, disse Al Gore, ex-vice-presidente dos Estados Unidos e vice-presidente na Apple responsável pelo comitê interno de investigação.

Alterar as datas de compra de ações não é necessariamente ilegal, mas a prática deve ser reportada e contabilizada corretamente para não ferir as regulações federais.

*Robert Mullins é editor do IDG News Service, em São Francisco.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail