Home > Notícias

YouTube faz concessão a japoneses e publica aviso contra pirataria

Site vai publicar aviso em japonês alertando contra o upload de conteúdo protegido por direitos autorais, a pedido de entidades do Japão

Por Martyn Williams, para o IDG Now!

06/02/2007 às 12h55

Foto:

Site vai publicar aviso em japonês alertando contra o upload de conteúdo protegido por direitos autorais, a pedido de entidades do Japão

O YouTube vai exibir uma nota em japonês no seu site alertando contra o upload de conteúdo protegido por direitos autorais, segundo informaram os dois co-fundadores da empresa a um grupo de detentores de direitos autorais no Japão nesta terça-feira (06/02), em uma  reunião pessoal. Esta ação é a única concessão que o site de vídeos ofereceu e também não ficou estabelecido um prazo para que a mensagem seja exibida.

O encontro, que durou duas horas, foi resultado de uma reclamação feita em dezembro passado por um grupo de 23 emissoras de TV e associações que representam detentores de direitos autorais. O grupo também tinha pedido que o YouTube registrasse nomes e endereços de usuários que fazem o upload de conteúdos protegidos e eliminasse suas contas.

“A reunião foi muito boa e bem amigável”, disse Satoshi Watanabe, representante da Sociedade Japonesa de Direitos Autorais. A associação representou os demais reclamantes e a reunião de terça foi feita na sua sede. “Estamos muito satisfeitos com a negociação direta e esse deve ser um primeiro passo para continuar... mas a resposta em si não foi satisfatória e gostaríamos de resolver os problemas”, disse Watanabe.

O chief executive officer (CEO) do YouTube, Chad Hurley, e o chief technology officer (CTO) Steven Chen, estiveram na reunião, assim como o vice-presidente de conteúdos de parceria do Google, David Eun, mas nenhum deles comentou o encontro. Mais tarde, o YouTube liberou um breve comunicado que confirmava o comprometimento com o respeito aos direitos autorais e agradecia  a organização pelo encontro.

Durante a reunião, os fundadores do YouTube detalharam os planos de desenvolver um sistema que será capaz de escanear vídeos colocados na plataforma e identificar infrações de direitos autorais, mas não há prazo para estréia da ferramenta, disseram os representantes às organizações japonesas. Eles também confirmaram os planos de pagar pelos uploads de conteúdos populares (desde que os responsáveis pelas publicações detenham os direitos do material).

A reclamação dos japoneses ocorreu logo após o YouTube ter deletado mais de 30 mil vídeos a pedido das associações e, logo após, os vídeos terem sido publicados novamente. Há poucos dias, a Viacom International, responsável por canais como MTV, Nickelodeon e Comedy Central, exigiu que 100 mil clipes fossem retirados do site por conter material protegido por direitos autorais.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail