Home > Notícias

Celular CDMA de baixo custo chega aos U$ 30, diz grupo da indústria

Fabricantes de aparelhos CDMA reduzem preço para impulsionar crescimento do número de assinantes em países emergentes

Por Sumner Lemon, para o IDG Now!*

08/02/2007 às 11h55

Foto:

Fabricantes de aparelhos CDMA reduzem preço para impulsionar crescimento do número de assinantes em países emergentes

Fabricantes de celulares continuam a baixar o preço de aparelhos compatíveis com a tecnologia CDMA (Acesso Múltiplo por Divisão de Código, na sigla em inglês), tornando-os mais acessíveis a consumidores de países em desenvolvimento, como a Índia e a China.

Na liderança pelo barateamento de aparelhos CDMA 200-1X está a Rose Telecom, da Coréia do Sul. “A Rose Telecom está vendendo para a Reliance [Communications] na Índia por 30 dólares com uma tela colorida”, disse James Person, chefe de operações do Gruoi de Desenvolvimento do CDMA (CDG, do inglês CDMA Development Group), um grupo da indústria que promove a tecnologia.

Esse preço representa um recuo em relação ao ano passado, quando os aparelhos CDMA mais baratos saiam por 40 dólares, disse ele.

Além da Rose, outras fabricantes de telefones estão oferecendo também aparelhos CDMA 20001X de baixo custo. Alguns exemplos são a LG Electronics, Huawei Technologies e a ZTE, que agora oferecem aparelhos por menos de 40 dólares, disse Person, observando que esses telefones geralmente oferecem apenas as características básicas, e não incluem câmeras, tocadores de música ou memória externa.

Esses aparelhos são produzidos para clientes de países em desenvolvimento, incluindo a Ásia, África e Europa Oriental, disse Person.

Os preços dos aparelhos CDMA 2000 EV-DO (Evolution Data Optimized), que oferecem maior velocidade de transmissão de dados, continuam mais altos que os dos modelos CDMA 2000-1X, ficando em torno de 100 dólares os mais baratos, segundo Person. “É um segmento de mercado muito diferente”, disse ele, acrescentando que a maior parte dos assinantes EV-DO estão em países desenvolvidos, como a Coréia do Sul e os EUA.

A maior parte do potencial de crescimento, em termos de novos assinantes, está nos países em desenvolvimento, onde os níveis de penetração são muito menores que nos países desenvolvidos. “Há muito espaço para crescimento”, disse Person.

O CDG não é o único  que espera que celulares mais baratos possam ajudar a impulsionar o crescimento da clientela nos países emergentes. A GSM Alliance (GSMA), um grupo que apóia a tecnologia rival GSM (Sistema Global de Comunicações Móveis), lançou programas para produzir aparelhos de baixo custo compatíveis com GSM e W-CDMA (CDMA com banda larga).

*Sumner Lemon é editor do IDG News Service, em Cingapura.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail