Home > Notícias

Mitsubishi demonstra criptografia em redes de alta velocidade

Dispositivo de criptografia é capaz de trabalhar com o padrão de segurança IPsec v2 em redes Ethernet de 10 Gbps

Por Martyn Williams, para o IDG Now!*

16/02/2007 às 16h50

Foto:

Dispositivo de criptografia é capaz de trabalhar com o padrão de segurança IPsec v2 em redes Ethernet de 10 Gbps

A Mitsubishi Electric desenvolveu um dispositivo de criptografia capaz de trabalhar com o padrão de segurança IPsec v2 em redes Ethernet  de 10 Gbps.

As unidades de codificação e decodificação são melhorias no atual hardware da empresa para Gigabit Ethernet e foram demonstradas em um centro de pesquisa e desenvolvimento da Mitsubishi Electric no Japão.

A companhia conseguiu aumentar o volume de dados que pode ser processado a cada segundo expandindo a criptografia paralela de pacotes de dados no dispositivo, disse Shinobu Ushirozawa, gerente de arquitetura de segurança em rede na Mitsubishi Electric.

Este era o gargalo que impedia velocidades maiores, mas com 50 unidades de processamento paralelo a velocidade de 10 Gbps pode ser suportada.

Quatro algoritmos de criptografia - AES, Camellia, MISTY e 3DES - podem ser utilizados pelo dispositivo e dois algoritmos de autenticação - SHA1 e 256-bit SHA2 - estão prontos, segundo Ushirozawa.

A Mitsubishi Electric já começou a promover a unidade para clientes em algumas indústrias e está trabalhando em um modelo ainda mais veloz para redes de 100 Gbps. O dispositivo deve estar disponível no próximo ano, disse Ushirozawa.

A companhia também desenvolveu quatro circuitos integrados necessários para redes de fibra para a casa de 10 Gbps. Atualmente, as conexões de banda larga no Japão usam linhas de acesso de 1 Gbps, tipicamente compartilhadas entre várias casas ou apartamentos, mas as operadoras já estão olhando para a próxima geração de serviços que aumenta as velocidades em dez vezes.

Para viabilizar estas redes o desenvolvimento de vários componentes de baixo custo se faz necessário. Entre eles, estão os quatro chips que a Mitsubishi Electric mostrou como protótipos. Mas ainda falta uma série de componentes, como novos lasers e diodos tanto para a linha de transmissão da operadora quanto para a unidade de rede óptica na casa do cliente.

Os engenheiros da Mitsubishi Electric estimam que as implementações ao longo dos próximos anos irão levar à comercialização de redes de 10 Gbps residenciais no Japão por volta de 2010.

*Martyn Williams é editor do IDG News Service, em Tóquio.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail