Home > Notícias

Médicos que jogam videogame são melhores cirurgiões, diz estudo

Cirurgiões que jogaram ou ainda jogam games erram menos e são mais rápidos em operações que envolvem câmeras e telas de TV

Por Redação do IDG Now!

21/02/2007 às 14h58

Foto:

Cirurgiões que jogaram ou ainda jogam games erram menos e são mais rápidos em operações que envolvem câmeras e telas de TV

Médicos que jogam ou costumavam jogar videogame têm habilidades melhores para laparoscopia, segundo um estudo publicado na edição de fevereiro do Archives of Surgery.

A laparoscopia consiste em introduzir instrumentos cirúrgicos e uma câmera no corpo de pacientes através de pequenas incisões e movimentá-los sendo guiado através de imagens exibidas em uma tela de TV.

Participaram da pesquisa 33 residentes de medicina e doutores que participam do Top Gun Laparoscopic Skills and Suturing Program (programa de sutura e habilidades de laparoscopia Top Gun) Beth Israel Medical Center, Nova York, entre maio e agosto de 2002.

Aqueles que, no passado, jogavam videogame mais de 3 horas por semana cometeram 37% menos erros e terminaram as operações em 27% menos tempo. O resultado geral deles nas provas do Top Gun foi 33% melhor que o de seus colegas, diz o estudo.

Quem joga atualmente por mais de 3 horas por semana tiveram um resultado semelhante: 32% menos erros, tempo de conclusão 24% menor e nota final 26% maior.

O estudo conclui sugerindo que videogames podem ser ferramentas educacionais para ensinar cirurgiões para aprimorar suas habilidades para operações que requeiram câmeras, como a laparoscopia, e deveriam ser incorporados ao currículo de treinamento.

A pesquisa, chamada "O impacto dos videogames no treinamento de cirurgiões no século 21", foi realizada pelos doutores James C. Rosser Jr, do Beth Israel Medical Center; Paul J. Lynch, do mesmo hospital e também do New York Medical Center; Laurie Cuddihy, do Montefiore Medical Center; Douglas A. Gentile, da Universidade de Iowa; Jonathan Klonsky, do Brookdale Universty Hospital and Medical Center; e Ronald Merrell; da Virginia Commonwealth University.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail