Home > Notícias

O que muda na sua conta telefônica com cobrança das ligações em minutos

A conta vai aumentar, a internet vai ficar mais cara, devo escolher o plano básico ou o alternativo? Tire suas dúvidas com este guia

Por Daniela Moreira, repórter do IDG Now!

26/02/2007 às 15h12

Foto:

A conta vai aumentar, a internet vai ficar mais cara, devo escolher o plano básico ou o alternativo? Tire suas dúvidas com este guia

A partir da próxima semana, as operadoras iniciam a cobrança por minuto, substituindo o sistema de pulsos. Tire todas as suas dúvidas sobre o novo sistema.

O que muda na conta com a conversão de pulso para minuto?

A conta do telefone fixo, que era tarifada por pulsos, passa a ser tarifada por minuto. Atualmente, você paga uma franquia mensal, no valor médio de R$ 40. Dentro desta franquia, estão inclusos 100 pulsos. Cada pulso equivale a quatro minutos. O valor médio de cada pulso, dentro da franquia é, portanto, de R$ 0,40.

Na nova franquia básica, você terá direito a 200 minutos, pelo mesmo valor aproximado de R$ 40. Isso significa que você pagará, em média, R$ 0,20 centavos por minuto. O tempo excedente, que você utiliza depois de usar toda a franquia, tem outros valores.

No modelo atual, baseado em pulsos, depois de usar toda sua franquia, você paga o valor médio de R$ 0,14 por pulso. No novo modelo, por minutos, o valor médio de um minuto excedente será de R$ 0,10. Atenção: os valores exatos variam de acordo com cada região.

Atualmente, a tarifação por pulsos é bastante complicada, além de pouco transparente. Você paga um pulso no momento em que cada chamada é completada, mais um pulso aleatório em até quatro minutos e, a partir deste, um novo pulso a cada quatro minutos.

Com a mudança para minutos, ao completar a ligação, a tarifação inicial mínima é de 30 segundos (mesmo que você não utilize este tempo) e o excedente é cobrado a cada seis segundos.

Isso significa que em uma ligação de três minutos, no sistema atual, você provavelmente paga pelo menos R$ 0,80, divididos da seguinte forma: R$ 0,40 do pulso ao completar a ligação e mais R$ 0,40 do pulso aleatório. Já no novo sistema você pagará somente o equivalente aos três minutos falados, ou seja, R$ 0,60.

O que é o plano alternativo?

O plano alternativo é um pacote estabelecido pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que reproduz o efeito dos pulsos na conta por minuto. Pelo mesmo valor do plano básico, ele oferece 400 minutos, o dobro do tempo.

O valor do minuto no plano alternativo é o equivalente exato a um quarto do valor atual de um pulso - em média R$ 0,10 na franquia e R$ 0,03 para o excedente. Em contrapartida, ele cobra o equivalente a quatro minutos ao completar a chamada, o que não acontece no novo plano básico, que é de 200 minutos.

Isso significa que cada vez que você fizer uma ligação e alguém atender do outro lado da linha, você pagará 4 minutos de imediato, mais o tempo falado.

No plano básico, você paga mais caro por minuto falado (em média R$ 0,20 na franquia e R$ 0,10 para o excedente), mas só vai desembolsar o equivalente ao tempo em que usar o telefone.++++

Qual dos dois planos é melhor: o básico ou o alternativo?

Depende do seu perfil de consumo. Se você usa o telefone para chamadas curtas, de menos de quatro minutos, o básico é o recomendado. Se suas ligações duram, em média, mais de quatro minutos, o alternativo é a melhor opção.

Por exemplo, se você for usuário da Telefônica, na cidade de São Paulo, você pagará no plano básico, utilizando os minutos da franquia, o equivalente a R$ 0,37 por uma ligação de dois minutos. No plano alternativo, a mesma ligação custará R$ 0,56.

Em contrapartida, uma ligação de 10 minutos, dentro da franquia, custa o equivalente a R$ 1,89 no básico e R$ 1,32 no alternativo.

Como eu sei qual o melhor plano para mim?

Como as operadoras cobram por pulsos, você não idéia de quantos minutos fala por mês. A recomendação, neste caso, é esperar pelo menos duas contas telefônicas em minutos para, a partir delas, analisar descobrir quantos minutos fala por mês e o tempo médio de suas ligações. Só assim, você poderá saber qual o melhor plano para que não gaste mais ao telefone.

A cobrança de um pulso no final de semana e na madrugada vai acabar?

Não. No horário reduzido, como é conhecido este período, você pagará, no plano básico, o equivalente a dois minutos para fazer uma chamada, independente da duração, dentro do plano básico.

No plano alternativo, você pagará o equivalente a quatro minutos para fazer a chamada, independente da duração. O horário reduzido permanece o mesmo: de segunda a sexta, das 0h às 6h; aos sábados, das 0h às 6h e das 14h às 24h; e aos domingos e feriados, durante o dia todo.

Quando minha conta vai mudar?

O prazo para que as operadoras alterem a forma de tarifação é de 1º de março ao dia 31 de julho. No prazo de 60 dias antes de iniciar a cobrança por minuto, as operadoras devem enviar um comunicado ao usuário informando os valores de assinatura, habilitação e minutos tanto do plano básico quanto do alternativo, para que o usuário possa optar por um plano.

Se o usuário não optar por nenhum plano, será imediatamente migrado para a modalidade básica. O prazo para que a conta comece a chegar a minutos na residência do usuário, no entanto, deve variar.

Em primeiro lugar, as operadoras vão migrar os usuários gradativamente, portanto não há data definida para a mudança em cada local. Além disso, o uso do telefone começa a ser medido em minutos a partir de março, o que significa que somente a partir de abril as contas podem vir detalhadas em minuto.

Tenho que pagar para mudar do plano básico para o alternativo?

Não, a Anatel determina que o usuário pode solicitar a mudança de plano a qualquer momento, sem nenhum custo. Isso significa que se você optar pelo plano básico e quiser mudar para o alternativo, não pode ++++ser cobrado por isso. E mesmo se decidir voltar para o básico, a operadora não pode cobrá-lo.

Como posso saber quanto vai custar cada plano na minha região?

A Anatel definiu o teto para cobrança dos valores de assinatura para cada operadora, em cada região. (Veja os valores, sem o imposto, no site da Anatel). Mas cabe a cada operadora divulgar os valores aos usuários pelo menos 60 dias antes de iniciar a nova tarifação.

A conta vai ficar mais cara?

Depende do plano escolhido. Se você faz ligações mais curtas (de menos de 4 minutos) e optar pelo plano básico, poderá reduzir os gastos. Se faz ligações mais longas e mantiver o básico, pode sentir um aumento de preços. A opção pelo plano alternativo implica na manutenção das condições do plano de pulsos, o que significa que sua conta deve manter o mesmo valor médio.

Usar a internet discada vai ficar mais caro?

Mais uma vez, vai depender do plano escolhido. O plano básico encarece as ligações mais longas, por isso se você usá-lo para navegar fora do horário reduzido, deverá gastar mais. O plano alternativo é mais vantajoso que o básico para navegar.

No horário econômico, você só pagar dois minutos no plano básico, e quatro minutos, no alternativo, para navegar por quanto tempo quiser, como acontece no sistema atual.

Mas se você usa bastante a internet com linha discada, a melhor alternativa é fazer um plano de acesso ilimitado, no qual paga um valor mensal fixo, atualmente na casa de R$ 30, e pode navegar quantos minutos quiser no mês.

Quais as vantagens desta mudança?

Além de reduzir o valor cobrado no início da chamada, eliminando o efeito do pulso aleatório, a cobrança por minuto é mais transparente, pois permite ao usuário saber exatamente a duração das suas chamadas e traçar um perfil de uso do telefone.

Assim, além dos planos estabelecidos pela Anatel, o usuário pode optar por pacotes com vantagens para ligações em determinados horários ou dias da semana, já oferecidos pelas operadoras. Também fica mais fácil identificar problemas com a conta, uma vez que as ligações passam a ser detalhadas.

Quais as desvantagens desta mudança?

Com a mudança na tarifação, o usuário pode sentir um impacto nas primeiras contas recebidas, até traçar o seu perfil de uso e escolher o plano mais vantajoso.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail