Home > Notícias

Microsoft atualiza ferramenta que verifica legalidade de software

WGA agora tem a categoria "indeterminado" para casos em que MS não puder determinar se OS do usuário é original ou pirata

Por Jeremy Kirk, para o IDG Now!*

28/02/2007 às 15h29

Foto:

WGA agora tem a categoria "indeterminado" para casos em que MS não puder determinar se OS do usuário é original ou pirata

A Microsof começará a dar a alguns clientes o benefício da dúvida com uma versão atualizada de sua ferramenta contra a pirataria de software, o Windows Genuine Advantage Notifications.

A companhia adicionou uma nova categoria à ferramenta, “indeterminado”, para os casos em que não puder determinar se o sistema operacional que roda no computador do usuário é legítimo ou não, disse Michala Alexander, chefe de combate à pirataria da empresa no Reino Unido.

Em versões anteriores, o programa rotulava o sistema como válido ou inválido. Neste último caso, o usuário ficava bloqueado para baixar atualizações de software, com exceção de correções críticas como patches de segurança.

No entanto, alguns usuários reclamavam que a ferramenta de notificações classificava seus sistemas operacionais como não licenciados erroneamente. A nova categoria visa resolver esse problema, não definindo, em alguns casos, se o programa do usuário é legal ou pirateado.

O assunto foi trazido à tona em parte porque, não tenho culpa o usuário, a chave errada de ativação do produto pode, algumas vezes, ser usada para desbloquear uma cópia legítima do sistema operacional.

Por exemplo, uma loja de conserto de computadores pode reinstalar um OS na máquina do usuário com uma chave de produto que usa continuamente, disse Alexander. Ela disse que viu em uma dessas lojas um código do tipo escrito em um quadro para poder ser reutilizado facilmente. Piratas de software também podem complicar, criando chaves de ativação falsas para tentar desbloquear programas.

A ferramenta de notificação confere a chave no computador do usuário e a compara com um banco de dados de chaves legítimas. Um computador pode passar no teste uma vez, mas seis meses mais tarde pode não conseguir se outro computador for registrado nesse intervalo com a mesma chave, explicou Alexander.

Assim, às vezes fica difícil para a Microsoft determinar claramente quem usa software legal e quem usa pirata. “A última coisa que precisamos é de falsos positivos”, disse ela.

Quando o software de um cliente é rotulado como indeterminado, ele será redirecionado para o site da Microsoft para mais informações. Uma forma de sair do problema será fornecer novamente uma chave de ativação legítima, o que não requer uma reinstalação do sistema operacional, diz Alexander.

A Microsoft continuará a atualizar a ferramenta WGA a cada três ou quatro meses, completou ela. No começo deste mês, a companhia divulgou uma atualização através do Automatic Updates do Windows XP. A MS também lançou 21 versões localizadas do programa para países como a China, Portugal, Rússia e Coréia.

Reclamações de usuários motivaram a MS a realizar uma série de mudanças na ferramenta de notificações desde seu lançamento em julho de 2005. Uma delas foi a extinção de mensagens insistentes de pop-up para avisar às pessoas que seus softwares poderiam ser ilegais.

O WGA é uma das pontas da estratégia da empresa no combate à pirataria, que também envolve ações judiciais conta falsários e visitas a lojas de computadores para se certificar de que os vendedores estão instalando os sistemas operacionais de forma adequada.

*Jeremy Kirk é repórter do IDG News Service, em Londres.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail