Home > Notícias

YouTube e BBC fecham acordo para transmitir notícias e entretenimento

Canal público britânico terá canal patrocinado no serviço de vídeos do Google para tenta atrair audiência para seu próprio site de vídeo

Por John Blau, para o IDG Now!*

02/03/2007 às 15h45

Foto:

Canal público britânico terá canal patrocinado no serviço de vídeos do Google para tenta atrair audiência para seu próprio site de vídeo

Usuários do serviço de vídeo online YouTube poderão assistir em pouco tempo documentário, séries de TV, notícias e outros programas da BBC.

Sob o acordo de não exclusividade, o canal britânico e sua subsidiária internacional BBC WorldWide criarão canais patrocinados por anúncios no YouTube, afirmaram a companhia nesta sexta-feira (02/03).

Mais sobre o Youtube:
> Aprenda a baixar ví­deos do YouTube
>TubeMe: Salve os vídeos do Youtube
>
SoapBox, rival da Microsoft contra YouTube, é liberado para uso público
>
Operadora de telefonia Vodafone lança YouTube móvel

O acordo é o mais recente na série de parcerias de conteúdo que o YouTube vem fechado com outros fornecedores de material, como a Wind-Up Records e a Associação Nacional de Basquete, que planeja seu próprio site da NBA.

A BBC pretende ampliar sua audiência e, em particular, usar o YouTube para gerar novas fontes de renda. Ao promover a atual programação no site, a companhia espera atrair usuários para seu serviço de vídeo online iPlayer, conhecido anteriormente como iMP.

Enquanto a BBC oferecerá clipes livres de anúncios para noticiários e conteúdo promocional ligado a séries de TV como "Doctor Who" e "Vida em Mars", sua unidade comercial oferecerá um canal patrocinado, chamado de "BBC Worldwide", com clipes de programas que incluem "Top Gear", “Spooks" e "The Catherine Tate Show".

Outro canal, o BBC World, oferecerá cerca de 30 novos clipes por dia, com notícias atualizadas constantemente e análises ao redor do mundo. O conteúdo virá da BBC Global News Divison.

Usuários poderão comentar os clipes e publicar suas respostas em vídeo para se comunicar com os espectadores da BBC.

Clipes patrocinados por anúncios estarão disponíveis apenas para usuários fora do Reino Unido.

O acordo da BBC com o YouTube pode provocar críticas de companhias de mídia que acusam a empresa de se render suas regras de transmissão pública, fundada por uma taxa de licença compulsória, ao adentrar o setor de acordos comerciais.

As novas ofertas on-demand da BBC, incluindo o iPlayer, estão sendo oferecidas ainda por um "teste de valor público" pela BBC Trust, que funciona em nome dos que pagam pela licença.

*John Blau é editor do IDG News Service, em Düsseldorf.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail