Home > Notícias

Kaspersky aponta predominância de cavalos-de-tróia entre pragas de 2006

Estudo afirma que 90% dos novos malwares detectados em 2006 roubam dados, enquanto ranking de vírus traz pragas com até 3 anos

Por Redação do IDG Now!

05/03/2007 às 18h14

Foto:

Estudo afirma que 90% dos novos malwares detectados em 2006 roubam dados, enquanto ranking de vírus traz pragas com até 3 anos

Pragas que coletam silenciosamente dados confidenciais dos usuários continuaram sua escalada frente a vírus e worms, segundo "A Evolução do Malware: 2006", balanço de segurança anual da Kaspersky.

Não bastasse o aumento de 41% na atividade maliciosa durante 2006 em comparação com o ano anterior, a participação de cavalos-de-tróia entre os novos malwares detectados no ano explodiu para 90%.

Segundo a Kaspersky, o estudo comprova a crescente preferência de crackers para pragas de infecção pontual e silenciosa a malwares que provocam infestações em massa e não causam danos financeiros, como worms, por exemplo.

Além de emplacar apenas 4% das novas pragas durante 2006, vírus e worms aparecem enfraquecidos pelo ranking das maiores ameaças de 2006: das 10 amostras mais ativas no ano, apenas um foi descoberta e provocou extensos danos em 2006.

Responsáveis por sete das dez posições no ranking anual, os malwares Mytob e NetSky foram desenvolvidos, respectivamente, em 2005 e 2004.

O ano passado forçou também uma concentração de crackers em aplicativos da Microsoft, já que, segundo a Kaspersky, o "número de brechas críticas do sistema operacional Windows" foram menores que anos anteriores.

Ambientes digitais também isentos de quaisquer ameaças anteriormente, como fóruns de discussão e jogos online como World fo Warcraft e Second Life, se viram alvos das primeiras ameaças.

Para 2007, a Kaspersky espera que ataques silenciosos com foco financeiros se mantenham como a principal ameaça digital, amparados pela crescente união entre crackers.

Como esperam atenção maior da Microsoft em relação à segurança do novo sistema Windows Vista, crackers deverão continuar a focar em aplicativos de terceiros, como sistemas dos consoles portáteis PlayStation Portable e Nintendo DS, além do navegador Internet Explorer e o gerenciador de e-mails Outlook.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail