Home > Notícias

Fundador da Wikipedia vai lançar buscador livre no quarto trimestre

Segundo Jimmy Wales, os testes com sistema que rivalizará Google e outros fortes provedores de busca começam ainda neste ano

Por Martyn Williams, para o IDG Now!*

09/03/2007 às 18h35

Foto:

Segundo Jimmy Wales, os testes com sistema que rivalizará Google e outros fortes provedores de busca começam ainda neste ano

O fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, marcou para o quatro trimestre deste ano o lançamento de um mecanismo de buscas de código aberto que, segundo ele, vai desafiar a predominância de empresas como Google e Yahoo no mercado.

O projeto está sendo desenvolvido por meio da Wikia, companhia com fins lucrativos fundada pelo criador da Wikipedia e que se baseia no mesmo modelo aberto da enciclopédia livre.

Ele pretende prover as ferramentas e tecnologias para que programadores em toda web colaborem para desenvolver e testar um mecanismo de busca e tornem os resultados abertamente disponíveis.

“A busca é agora uma parte fundamental da infra-estrutura da internet e é fundamental à sociedade como um todo e portanto é importante que nós cidadãos do mundo nos preocupemos com o fato de ela ser uma caixa secreta”, disse ele.

Os esforços para criar a mecanismos de buscas abertos não são novos, mas esbarram em dificuldades de testes em escala para os algoritmos, que são a essência dos mecanismos de busca.

Para criar um mecanismo que abranja toda a web são necessários investimentos em hardware, segundo Wales, e a Wikia planeja prover os recursos necessários para que o software possa ser devidamente testado e ativado.

O projeto ainda está em fase de planejamento e Wales espera que a primeira versão de teste fique pronta este ano para que os desenvolvedores possam identificar bugs e acelerar o aperfeiçoamento da ferramenta.

“Provavelmente o que faremos é lançar algo no quarto trimestre com um grande alerta: ‘É ruim, sabemos que é ruim, é experimental, não entre em pânico’”, disse ele. O projeto atrai atenção não só dos desenvolvedores, mas também de empresas que já oferecem mecanismos de busca e não estão entre os maiores provedores.

Segundo Wales, uma pesquisa recente mostrou que a grande força do líder de mercado Google está na marca. No teste, o usuário devia identificar os melhores resultados em páginas com o logo do Yahoo e do Google, mas com os resultados invertidos. De acordo com ele, os usuários sempre escolhiam os resultados com o logo do Google como melhores.

“Se o problema das buscas for resolvido de alguma forma e se pudermos torná-la gratuita isso realmente muda a estrutura de competição na web”, disse ele. Wales acredita que mesmo que outras empresas se aproveitem da tecnologia desenvolvida para criar seus próprios mecanismos, a Wikia pode deter de 2% a 3% do mercado, o que seria um belo negócio, em suas palavras.

Um dos desafios será lidar com a questão da falta de sigilo sobre os algoritmos, que poderia favorecer a atuação de spammers. Para Wales, a própria comunidade vai criar uma lista negra de quem abusa do serviço para mantê-lo limpo.

“Se os algoritmos públicos tornam fácil demais para os spammers manipular o sistema então temos um problema sério e toda a minha idéia vai falhar”, concluiu ele.

*Martyn Williams é editor do IDG News Service, em Tóquio.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail