Home > Notícias

Inteligência Artificial permite bate-papo com robôs virtuais

Denominados chatbots, estes programas interagem com o internauta, aprendem com ele e podem resultar em 'diálogos' inusitados

Por Nando Rodrigues, da PC WORLD

13/03/2007 às 16h08

Foto:

Denominados chatbots, estes programas interagem com o internauta, aprendem com ele e podem resultar em 'diálogos' inusitados

Inteligencia Artificial 150 100Não é de hoje que cientistas procuram construir computadores capazes de reproduzir o comportamento do homem, pelo menos no que diz respeito à sua interação com os seres humanos. Muita coisa já foi feita nesse sentido, mas o caminho promete ser longo.

As iniciativas que estão mais próximas dos usuários são aquelas denominadas chatbots (também chamadas chatterbots, talk bots ou chatterboxes). A expressão, segundo a Wikipédia, foi criada na década de 1994, por Michael Mauldin, durante a XII Conferência Nacional sobre Inteligência Artificial (ICCC), realizada em Washington, nos Estados Unidos.

Evolução
Os chatbots não são uma iniciativa recente. O projeto ELIZA, por exemplo, data dos anos 1960. Segundo consta, o programa seria uma paródia de um método terapêutico que fazia sucesso na época: o terapeuta devolvia, em forma de pergunta, o que havia escutado do paciente. Outro projeto, também de origem ‘médica’, era o PARRY (década de 1970), que utilizava um padrão esquizofrênico para conduzir a conversa. Os dois programas mantiveram diversos ‘diálogos’ entre si; o mais famoso deles durante a ICCC de 1972.

Os projetos mais atuais mantêm a comunicação a partir da interpretação inteligente do que as pessoas escrevem. O programa detecta palavras, expressões-chave ou ainda uma combinação de expressões existentes na frase e busca uma resposta a partir de um banco de dados pré-definido. Ainda que o computador não compreenda o que foi dito, ele é capaz de fornecer uma resposta que proporciona uma espécie de diálogo.

Selecionamos alguns exemplos interessantes dessa técnica e que valem um visita:

ALICEA A.L.I.C.E. - Artificial Linguistic Internet Computer Entity: foi concebida utilizando o conceito de código aberto (Free Software Foundation) e seu foi escrito com base no AIML (Artificial Intelligence Markup Language). O projeto ganhou o Loebner Prize de 2004, concedido às melhores iniciativas em inteligência artificial. Não é difícil passar vários minutos ‘conversando’ com esta simpática morena de olhos azuis cujo olhar segue o movimento do mouse. E que consegue manter o bom humor, sem perder a linha, mesmo se submetida a contadas virtuais.

DAVEDAVE E.S.L.bot – Dynamic Advanced Version Equipment: espécie de professor, este chatbot é pago (9,99 dólares – pagamento único, válido por 30 dias de acesso) e possui um banco de dados de dezenas de milhares de palavras e se expressa em um inglês perfeito. ‘Conversar’ com ele vai ajudar a treinar sua fluência escrita e capacidade de entender o idioma.

CLAUDIOC.L.A.U.D.I.O. Personality Test - Cybernetic Lifelike Android Used for Dialogue Interaction and Observation: outro chatbot pago (9,99 dólares  – pagamento único, válido por 30 dias de acesso), utiliza uma séries de perguntas sem aparente conexão para traçar o tipo de personalidade do interlocutor a partir do conceito definido pelo Enneagram Institute e que separa os tipos humanos em 9 categorias: reformista, solícito, vencedor, individualista, investigador, fiel, entusiasta, desafiador e pacificador.

ARIEL-XA.R.I.E.L. – Artificial Robotic Intelligeng Electronic Life: se apresenta como profunda conhecedora da  cidade de Washington, DC (mas não soube responder o endereço da Casa Branca) e outros temas como música, ciências e política.

BEARBOTBearbot: disponível para converser 24 horas por dia, este simpático urso utiliza a técnica de aprender pelo uso: quanto mais pessoas conversam com ele, maior seu repertório de assuntos e respostas possíveis.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail