Home > Notícias

Microsoft processa empresas que registram domínios com sua marca

Microsoft abre duas novas ações contra acusados de registrar nomes de domínios similares à sua marca e recebe indenização em três casos

Por Jeremy Kirk, para o IDG Now!*

14/03/2007 às 17h24

Foto:

Microsoft abre duas novas ações contra acusados de registrar nomes de domínios similares à sua marca e recebe indenização em três casos

A Microsoft abriu duas novas ações contra empresas acusadas de registrar nomes de domínios similares à sua marca. A empresa também fez acordo para encerar três outras ações contra companhias acusadas da mesma prática.

A alegação da Microsoft é que estas empresas registraram internacionalmente domínios com variações da sua marca ou com grafias incorretas, mas similares a ela.

Normalmente esses domínios apontam para páginas com anúncios que se revertem em receita ao dono do site caso o visitante clique em algum dos links. A Microsoft disse que a prática engana e confunde os usuários. A empresa vai receber indenização de algumas companhias.

A Dyslexic Domain Company, de Gales, concordou em pagar quantia não revelada à Microsoft por infringir sua marca em cerca de 6 mil domínios que registrou, segundo a empresa. A Microsoft tem mais cinco ações similares no Reino Unido, mas não revelou detalhes dos casos.

Nos Estados Unidos, a Microsoft fez um acordo para receber 2 milhões de dólares de Jason Cox, do Novo México, e da empresa Newtonarch, de Utah. A companhia vai receber mais um milhão de dólares de Dan Brown, da Califórnia, que fazia negócios pela Partner IV Holdings.

Continuando com a ofensiva, a Microsoft abriu uma ação na Califóronia, contra a Maltuzi, acusando a empresa de registrar blocos de domínios incluindo nomes similares à sua marca.

Em outra frente, a Microsoft está processando 54 indivíduos não-identificados pelas mesas acusações. Abrir o processo contra anônimos é uma técnica para obter seus nomes, disse a Microsoft.

A companhia complementou uma ação aberta em agosto de 2006, na Corte do Distrito de Seattle, adicionando nomes de detentores de 217 domínios que a empresa contesta, incluindo ainda três novos réus ligados a 135 domínios, entre eles Sule Garba, Darin Grabowski e Yi Ning.

Segundo o advogado da Microsoft em Paris, Jean Christophe Le Toquin, é difícil prevenir os registros especulativos. Os autores de tais práticas usam software para automatizar os registros, entre outras técnicas, disse ele.

Nos últimos seis meses, a Microsoft disse ter reclamado 1,1 mil nomes de domínios que infringem sua marca. A empresa tem 21 mil domínios registrados em seu nome. Todos os domínios recuperados em processos são redirecionados ao microsoft.com, segundo Le Toquin.

*Jeremy Kirk é editor do IDG News Service, em Londres.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail