Home > Notícias

ICANN promete decidir sobre domínio “.XXX” para pornografia até abril

Cercada por manifestações, reunião do órgão decidirá URL para designar sites de conteúdo adulto e aponta mudança na regras de filiação

Por Ben Ames, para o IDG Now!*

27/03/2007 às 16h34

Foto:

Cercada por manifestações, reunião do órgão decidirá URL para designar sites de conteúdo adulto e aponta mudança na regras de filiação

Surpreendidos por diversas manifestações contrárias à criação de um sufixo ".xxx" dedicado para endereços de conteúdo pornográfico, líderes do ICANN deverão votar na próxima sexta-feira (26/03) se a iniciativa será lançada ou não.

Apoiadores da atitude afirmam que o conteúdo poderia ser mais facilmente regularizado se tivesse uma categoria própria na web.

Já os críticos, incluindo líderes religiosos, afirmam que a jogada tornaria o conteúdo pornográfico mais fácil de encontrar, enquanto outros alegam que o aumento na filtragem prejudicaria a liberdade dos sites.

"Esta é uma questão claramente controversa, e este conflito tem reflexos também no conselho", afirma Paul Twomey, chief executive do ICANN.

"Ainda estamos procurando uma solução para o problema, e a quantidade de respostas e sugestões que recebemos tem sido vigorosa, com grande predileção do público para a não aprovação do domínio", revelou.

O conselho do ICANN considerará muitas outras questões nesta semana, entre as quais como provedores de internet poderiam ter reagido melhor ao ataque de servidor no dia 6 de fevereiro deste ano, e como lidar com códigos de dois dígitos para países que já não existem, como a União Soviética (.su).

Registro de domínio
O conselho também decidirá se deve manter o inglês como língua padrão para endereços online e quais são as opções legais do ICANN para desfiliar a RegisterFly.com, empresa de registro de domínios com um longo histórico de reclamações de clientes, que afirmam que endereços expiram antes da hora e não podem ser renovados.

O ICANN pressiona o RegisterFly para evitar uma nova rodada de discussões e solicita aos clientes da empresa que procurem um novo órgão de registro que seja filiado à entidade. Caso a RegisterFly não concorde, o ICANN pode pedir que uma corte force a transferência.

O incidente também pode levar o ICANN a mudanças na maneira como filia empresas de registro, afirmou Twomey. O grupo está atualmente evoluindo do monopólio do órgão original, a Network Solutions, para um mercado com diversas empresas competidoras. O ICANN atualmente lista cerca de 860 registrars, nome das empresas que operam registros, para 80 milhões de clientes de registros.

"A Microsoft exige que você passe em testes antes de vender seu software, mas não exigimos qualquer habilidade comprovada para se tornar um registrar. Talvez esta seja uma preocupação que precisemos ter", afirmou Twomey.

*Ben Ames é repórter do IDG News Service, em Boston.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail