Home > Notícias

Empresa abre processo anti-spam de US$ 1 bilhão nos Estados Unidos

Companhia de Utah abriu ação em nome de 20 mil usuários de internet contra indivíduos que roubam e-mails para propagar spam

Por Mark Sullivan, para o IDG Now!*

27/04/2007 às 10h43

Foto:

Companhia de Utah abriu ação em nome de 20 mil usuários de internet contra indivíduos que roubam e-mails para propagar spam

Uma companhia de Utah, nos Estados Unidos, abriu uma ação de 1 bilhão de dólares em nome de 20 mil usuários de internet com o objetivo de atingir os indivíduos que seqüestram e-mails para propagar spam.

A Unspam Technologies, abriu o processo na Corte do Distrito da Virgínia sob uma lei de anti-spam da Virgínia e sob a lei federal CAN-SPAM Act. A companhia oferece consultoria a empresas e governos sobre técnicas de controle de spam.

A ação foi aberta em nome de clientes de 100 países participantes de uma ação apelidada de “Projeto Pote de Mel”. A justificativa para o curioso nome é que a Unspam e seus clientes estão usando um método inteligente para localizar o e-mail dos spammers e seus clientes.

A empresa fornece a seus clientes um software que cria páginas na web, chamadas de “potes de mel”, que tornam e-mails falsos disponíveis para os programas de seqüestro automático de e-mails usados pelos spammers. Estes e-mails são usados posteriormente para localizar os indivíduos que colhem endereços alheios e os utilizam para propagar spam.

Como o projeto já tem um certo tempo de andamento, a empresa já tem uma base significativa de dados, suficiente para abrir os processos. O grupo também vai pedir à justiça autorização para obter registro dos provedores usados pelos spammers.

Identificar estes indivíduos, contudo, não é a parte mais difícil do processo. Outros casos no passado mostraram que processá-los de fato é o mais complicado, já que eles operam na maioria das vezes de fora dos Estados Unidos e, portanto, fora da jurisdição legal do país.

Mas a Unspam acredita que grande parte dos spammers que caíram na sua armadilha opera de dentro dos Estados Unidos, muitos deles da própria Virgínia.

Se for alcançada, a indenização de 1 bilhão de dólares, primeira desta magnitude em um caso de spam, será usada para pagar custos legais e parte dela pode ser revertida para os participantes do “Projeto Pote de Mel”. Os spams respondem hoje por mais de 80% do tráfego mundial de e-mails.

*Mark Sullivan é editor da PC World, nos Estads Unidos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail