Home > Notícias

Robô detecta sons de baleias e envia informações via satélite

Aparelho foi desenvolvido para evitar que navios emitam ondas sonoras submarinas quando os animais estiverem por perto

Por Redação do IDG Now!

04/05/2007 às 14h10

Foto:

Aparelho foi desenvolvido para evitar que navios emitam ondas sonoras submarinas quando os animais estiverem por perto

De acordo com a publicação científica Nature, um robô submarino que pode ouvir o som das baleias está sendo testado nas Bahamas. O objetivo do aparelho é evitar que navios cruzem o caminho das baleias, que não reagem bem ao som emitido por eles. Além de ser silencioso, o robô é capaz de transmitir informações sobre os animais via satélite para qualquer lugar do mundo.

De acordo com a organização responsável pelos testes, a Defence Research and Development Canada (DRDC) Atlantic, ouvir passivamente a “voz” das baleias é a forma mais eficiente de localizá-las sem incomodá-las. Evidências mostram que depois que navios emitem ondas sonoras submarinas onde há baleias, além de os animais se aborrecerem, muitos encalham na costa.

O método utiliza um robô no formato de torpedo, que ziguezagueia pelo oceano e pode submergir até 200 metros abaixo da superfície. Um microfone está acoplado na parte inferior do planador e pode detectar sons de todas as espécies de baleias.

Periodicamente, o planador volta à superfície para enviar as informações de volta à base. Caso esteja muito distante, é possível estabelecer contato via satélite com qualquer lugar do mundo.

A expectativa é que os navios que utilizam sondas (aparelhos sonoros utilizados para descobrir objetos debaixo d’água) possam localizar as baleias com maior facilidade, evitando, assim, propagar as ondas sonoras.

O robô é capaz de utilizar a frequência e modelos de sons já detectados para entender a diferença entre as espécies de baleias.

Ainda em fase de testes, o robô, que funciona a bateria, tem autonomia de até um mês. Contudo, o objetivo é que o consumo de energia seja reduzido, possibilitando que o robô fique no oceano por até 5 anos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail