Home > Notícias

Google considera entrar no mercado de internet wireless

Empresa participará de leilão de freqüências na faixe de 700 MHz. Se ganhar, deve oferecer serviços sem fio aos usuários

Por Nancy Gohring, para o IDG Now!*

24/05/2007 às 13h17

Foto:

Empresa participará de leilão de freqüências na faixe de 700 MHz. Se ganhar, deve oferecer serviços sem fio aos usuários

O Google participará de um leilão da Federal Communications Comission (FCC), que se espera aconteça no ano que vem, com o objetivo de oferecer serviços wireless aos usuários, segundo a empresa declarou nesta terça-feira (22/05). A FCC, orgão que regulamenta as telecomunicações nos Estados Unidos, vai leiloar freqüências na faixa de 700 Mhz.

Esse tipo de frequência é utilizada por emissoras de televisão, mas atualmente estende sua disponibilidade para a transição para TV digital. Trata-se de uma faixa de freqüência atraente por carregar sinais para longas distâncias, reduzindo os custos para a construção de uma rede de comunicações. Caso consiga a freqüência, o Google deve rede para oferer serviços wireless diretamente para os usuários.

A empresa também pode permitir que outros provedores de serviços utilizem parte desse espectro. Na segunda-feira (21/05), o Google escreveu à FCC pedindo que a agência permita que os ganhadores criem um sistema de leilão que possibilite oferta parte do espectro para uso de terceiros, permitindo a competição. O sistema seria parecido com a ferramenta de compartilhamento de receitas do Google, o AdWords.

“Independente de nos envolvermos ou não com o leilão, achamos interessante criar este tipo de plataforma”, declarou o conselheiro de telecomunicações e mídia do Google, Richard Whitt.

O Google, bem como empresas como o Yahoo e a Microsoft, tem mostrado crescente interesse na internet móvel. Essas empresas acreditam que a propaganda nesta tecnologia pode gerar bons rendimentos financeiros.

A empresa reclamou da dificuldde de lidar com as operadoras, que controlam as redes de comunicação wireless, e ainda enfrenta a necessidade de desenvolver produtos compatíveis com variedade de softwares para telefones. Operar uma rede de comunicação própria vai permitr ao Google oferecer todos os tipos de serviço que desejar.

*Nancy Gohring é editora do IDG News Service em Seattle

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail