Home > Notícias

Dispositivo armazena luz e aumenta a velocidade de computadores

Através do armazenamento de luz, o dispositivo controla o tempo e a ordem dos bits de informação, tornando processo mais veloz

Por Redação do IDG Now!

22/06/2007 às 10h23

Foto:

Através do armazenamento de luz, o dispositivo controla o tempo e a ordem dos bits de informação, tornando processo mais veloz

Um dispositivo microscópico que armazena luz pode melhorar a velocidade nas comunicações ópticas e nos computadores, afirmam pesquisadores da Universidade Cornell, em Nova York, nos Estados Unidos, responsáveis pela criação. O novo dispositivo conta com um “portão” controlado opticamente que pode ser aberto e fechado para prender e libertar a luz, informa a Technology Review.

O armazenamento temporário de pulsações de luz permitiria o tempo e o controle da ordem em que os bits de informação são enviados, essenciais para marcar as comunicações através de fibras ópticas.

Atualmente, a maior parte das marcações é feita eletronicamente. Este processo é lento e ineficiente, pois precisa que as pulsações de luz sejam convertidas em elétrons e em pulsações novamente. Nos computadores, a memória óptica poderia também tornar possível a comunicação entre dispositivos em chips de computador.

A marcação óptica é um desafio, pois os pulsos de luz, diferente dos elétrons, são difíceis de controlar. Para controlar o movimento das pulsações elas poderiam ser confinadas temporariamente em uma armadilha - um “loop” contínuo. Contudo, esta aproximação envia a luz para dentro e para fora da armadilha e ela escapará. É necessário fechar a entrada assim que a luz entrar e, quando a pulsação da luz for necessária, a porta pode ser aberta.

Os pesquisadores utilizam uma pulsação de luz com 1,5 bilionésima parte de segundo para abrir e fechar a entrada. O dispositivo inclui dois caminhos paralelos de silício com 560 nanômetros cada. Entre eles estão dois anéis de silício da largura de um fio de cabelo.

Para prender a luz nestes anéis, os pesquisadores os modularam envolvendo diferentes cores através da iluminação de uma breve pulsação de luz sobre eles.

A luz de determinada cor atravessa o caminho de silício e dá a volta em um dos anéis, voltando ao caminho e seguindo. Mas os anéis devem estar modulados em diferentes frequências para a pulsação não circular em um “loop” contínuo.

Antes da aplicação industrial, algumas questões precisam ser resolvidas. Até agora, os anéis capturam apenas parte da pulsação de luz. Com isto, muitas informações codificadas no contorno total são perdidas.

Outra questão é que a duração do tempo em que uma pulsação de luz pode ser armazenada é relativamente pequena. Se a luz fica no anel muito tempo, se tornará fraca para usar.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail