Home > Notícias

Martin Lindstrom e John Battelle são destaques de evento de Web 2.0

Futurologista de marcas e visionário da web debatem as transformações da nova geração de consumidores no Digital Age 2.0

Por Redação do IDG Now!

26/06/2007 às 17h58

Foto:

Futurologista de marcas e visionário da web debatem as transformações da nova geração de consumidores no Digital Age 2.0

John Battelle, um dos organizadores da Web 2.0 Conference, nos Estados Unidos, e Martin Lindstrom, futurologista de marcas, guru de branding e autor de livros que discutem o comportamento da nova geração digital, são os destaques do evento “Digital Age 2.0”, que acontece em 09 e 10 de agosto, no Hotel WTC, em São Paulo, e com transmissão ao vivo no Second Life.

O “Digital Age 2.0”, evento organizado pelo IDG e pela JumpEducation, quer discutir a transformação pela qual passam os negócios e os consumidores da nova era digital. Ele marca também o 10º aniversário do IDG Now!, principal site de notícias de tecnologia do Brasil, que cobriu da primeira fase da internet até a Web 2.0.

"As mudanças sociais e econômicas da internet não podem mais ser ignoradas pelas empresas, independente do seu ramo de negócios. O consumidor está no controle e quer das empresas um outro tipo de interação.

"O Digital Age 2.0 é a plataforma de discussão na qual, durante dois dias, profissionais de marketing e publicidade, CEOs, CIOs e demais decisores corporativos discutirão essas mudanças e soluções que a Web oferece, com grandes nomes internacionais e nacionais. Queremos não só ajudar a achar as respostas, mas também queremos provocar a inovação dentro das corporações", diz Silvia Bassi, presidente e publisher do IDG Brasil.

Temas como a nova identidade virtual, conteúdo gerado pelos usuários, Second Life e mundos virtuais, para onde caminha o consumidor online, como posicionar a sua marca no novo ambiente digital, entender a dinâmica de blogs, wikis e redes sociais serão debatidos por palestrantes internacionais e nacionais no Digital Age 2.0.

Nova geração 

“Eu me lembro da época em que se dizia que um profissional de tecnologia jamais seria demitido por recomendar a IBM. Acredito que o mesmo poderia ser dito para os profissionais de marketing que escolhiam os canais tradicionais de mídia”, escreveu Martin Lindstrom. “Mas as coisas estão mudando. Os profissionais de TI ainda não serão demitidos por escolher IBM, mas os profissionais de marketing com planos baseados em canais tradicionais e na velha escola de pensamento não deveriam estar tão tranqüilos”.

Um bom case, contado por Lindstrom para ilustrar essa transformação, é o de uma pequena pizzaria nos Estados Unidos, que usava a internet para vender pizzas. Para conseguir novos consumidores e bater seus concorrentes, ela anunciou uma promoção inusitada nas “páginas amarelas”: rasgue a página de pizzas do catálogo e traga pessoalmente que você ganhará uma pizza gratuita. Dessa forma, ‘rasgou”, literalmente, seu concorrente. “Esse é um exemplo de como pensar diferente”, diz Lindstrom.

Banco de dados de intenções

Quando um internauta escreve uma palavra em uma caixa de busca, ele está, na verdade, digitando uma intenção. Essa é a tese de John Battelle, organizador do evento Web 2.0, nos Estados Unidos, fundador da Wired e um dos visionários da internet.

Battelle, autor do livro “The Search” (A Busca, publicado no Brasil pela editora Campus, R$ 65,00), diz que os mecanismos de buscas estão redefinindo a publicidade na internet e criando uma novo mercado.

Em sua visão, o banco de dados dos grandes players do mercado de busca está criando uma base gigantesca de palavras e informações que está em sintonia fina com o desejo dos consumidores. Quando a palavra carro é digitada é porque o internauta busca informações sobre o tema e, portanto, nada mais eficiente do que atrelar esse resultado a um anúncio.

É por esse motivo que os links patrocinados representaram mais de 40% do total investido em publicidade online nos Estados Unidos em 2006, de acordo com pesquisa do IAB e PricewaterhouseCoopers

DNA da mídia social

O conteúdo gerado pelos internautas é uma tendência na internet. Sites como YouTube, Digg, Flickr, entre outros, se transformaram em referência e conquistaram grandes audiências com base na colaboração do usuário.

Neles, o controle da marca é quase impossível. Entender o DNA dessa nova mídia social, que inclui blogs, chats, wikis e redes sociais, é fundamental para entender como posicionar o seu branding na convergência das mídias.

Os consumidores estão exigindo mais de seus anunciantes, buscando informações sobre produtos, opções de compras e análises, em vez de uma mensagem apresentada pela celebridade da ocasião. São informações feitas “para ele” e não para uma audiência de massa.

“Eu não tenho crianças, então não preciso ver um anúncio sobre fraldas”, acredita Darin Brown, Chief Strategy Officer da Avenue A | Razorfish, que pertence a aQuantive, comprada por 6 bilhões de dólares pela Microsoft, em entrevista para o Washington Post, que falará sobre o DNA da mídia digital no Digital Age 2.0. “A propaganda pode ser efetiva, pode até me divertir, mas não vai me fazer comprar porque não é relevante para o meu caso”.

Entender as novas mídias sociais ir além do comercial de 30 segundos, integrar campanhas e medir o resultado é o desafio dos atuais diretores de marketing e profissionais de agências.

Qual é o ROI da mídia social?

Qual o valor de um blog? Essa é a pergunta que muitas empresas devem se fazer quando lhes é sugerido entrar neste novo universo.

E a resposta é polêmica. Mas há uma certeza: não é a matemática, estúpido. Essa é a ‘fórmula matemática’ que será mostrada por Josh Bernoff, vice-presidente da Forrester e analista de tecnologia e convergência.

Medir os resultados de um blog, muito mais do que a audiência, é buscar métricas sobre o impacto e a comunidade que está ao redor. Em resumo, valores intangíveis. Entre eles:

1) Aumenta da visibilidade da marca
2) Economia com os insights dos usuários
3) Redução do impacto negativo de conteúdo gerado por usuário
4) Aumento da eficiência das vendas

Achou complicado? O Digital Age 2.0 quer traduzir todo esse universo para você. Aperte a tecla SAP.

Serviço

Digital Age 2.0
Quando: 09 e 10 de agosto
Onde: Hotel WTC - São Paulo
Site do evento, para saber mais (clique aqui)

A quem se destina: CMOs, CEOs, CIOs de grandes corporações, publicitários e profissionais de agências de marketing e publicidade, formadores de opinião e executivos da indústria de tecnologia.
 
Resumo: evento sobre Web 2.0 que debaterá as transformações das marcas, empresas e consumidores, com a presença do futurologista de marca Martin Lindstrom, o visionário de internet e fundador da Wired, John Battelle, o especialista em marketing social e chief strategy officer, Darin Brown, e o vice-presidente do Forrester, Josh Bernoff

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail