Home > Notícias

Aliança Wi-Fi começa testes para certificar produtos no padrão 802.11n

Grupo iniciou na segunda-feira (25/06) testes para colocar produtos para redes sem fio mais rápidos no mercado

Por Stephen Lawson, para o IDG Now!*

26/06/2007 às 13h54

Foto:

Grupo iniciou na segunda-feira (25/06) testes para colocar produtos para redes sem fio mais rápidos no mercado

A Aliança Wi-Fi iniciou na segunda-feira (25/06) testes para colocar produtos para redes sem fio mais rápidos no mercado, iniciando a avaliação de equipamentos baseados na versão “rascunho” do padrão IEEE 802.11n.

O grupo de indústria que popularizou as redes sem fio espera que produtos com o selo de aprovação “802.11n Draft 2.0” cheguem ao mercado antes de setembro.

Para receber o aval, os roteadores, access points e outros produtos deverão funcionar com outros equipamentos no novo padrão e também com os padrões já existentes 802.11a/b/g. Eles também terão que passar por testes de segurança e qualidade. Oito laboratórios na Espanha, Taiwan, Japão e Estados Unidos estão testando produtos.

A nova especificação 802.11n é mais complicada que as anteriores, porque utiliza diversas antenas e uma grande quantidade de espectro de rádio. Por isso, representou um desafio ao Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE).

Após longas discussões sobre o padrão, a Aliança Wi-Fi adotou o Draft 2.0 como padrão para a criação de equipamentos pelos fabricantes. Mas o IEEE ainda trabalha na versão final do 802.11n, que deve ficar pronta só em março de 2009. Não há garantia de interoperabilidade entre os produtos Draft 2.0 e os da versão fiscal.

Por conta desse risco, muitos analistas acreditam que as empresas não vão investir na nova geração da tecnologia até que ela tenha sua versão final, pois elas precisam ter certeza que seus equipamentos vão funcionar com uma ampla variedade de produtos por um longo período.

Tanto o Draft 2.0 quanto a versão final devem oferecer velocidade superior a 100 Mbps (megabits por segundo), mais rápida que grande parte das conexões Ethernet cabeadas. Os produtos que estão sendo certificados no momento oferecem velocidade de transferência cinco vezes maior e o dobro da área de cobertura do padrão anterior.

Os novos produtos receberão ainda selos de compatibilidade com o padrão de segurança WPA2 (Wi-Fi Protected Access) e WMM (Wi-Fi Multimedia), que garante qualidade de voz, vídeo e jogos.

*Stephen Lawson é editor do IDG News Service, em São Francisco.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail