Home > Notícias

AMD propõe expandir instruções de CPU para melhorar chips multicore

Empresa quer aproveitar ao máximo a capacidade destes processadores por meio da integração entre software e hardware

Por Paul Krill, para o IDG Now!*

14/08/2007 às 14h24

Foto:

Empresa quer aproveitar ao máximo a capacidade destes processadores por meio da integração entre software e hardware

A AMD expandirá aumentar as instruções para CPUs no intuito de ampliar a desenvolvedores as possibilidades em processadores multicore ao construir aplicações específicas para núcleos múltiplos, anunciou a empresa na segunda-feira (13/08).

As extensões inicialmente possuem enfoque na análise do desempenho, por meio da nova especificação da AMD, chamada “Light-Weight Profilling”.

Esta tecnologia permitirá retorno em tempo real sobre a otimização necessária, que pode ser utilizada diretamente pelo software.

Com o tempo, outras extensões de hardware poderiam ser adicionadas em outras áreas, como na memória transacional de software, na transmissão de mensagens com alto desempenho e na rápida troca de contexto para um leve paralelismo.

A AMD enfatizou que a conversão de um software com uma única execução para ser de múltipla execução é uma habilidade altamente específica, além de ser um desafio para desenvolvedores.

Os desenvolvedores podem acessar as extensões através de compiladores ou em um API (do inglês, Application Programming Interface).

Os softwares que poderiam utilizar as extensões seriam aplicações baseadas em plataformas como a Common Language, da Microsoft, ou o Java Runtime.

As extensões poderiam simplesmente ocupar espaço no chip caso o usuário escolha não utilizá-las, o que ocuparia espaço que poderia ser utilizado para outras tarefas, afirmou um pesquisador da Insight64, Nathan Brookwood.

Contudo, estas extensões não estarão disponíveis em chips AMD nos próximos três ou quatro anos, nem nos próximos lançamentos, os chips Barcelona e Bulldozer.

A Intel, cuja tecnologia de chips de múltiplos núcleos está a frente da AMD, poderia - teoricamente - utilizar as extensões, caso elas fossem colocadas em seus próprios chips.

*Paul Krill é editor do Infoworld em São Francisco

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail