Home > Notícias

Além do celular, Metrô de SP terá banda larga sem fio

Depois do acidente que abriu uma cratera na capital, com sete vítimas fatais, Linha 4 promete inovações tecnológicas para o início de 2009

Por Taís Fuoco, do COMPUTERWORLD

24/08/2007 às 17h07

metro_acesso_70.jpg
Foto:

Depois do acidente que abriu uma cratera na capital, com sete vítimas fatais, Linha 4 promete inovações tecnológicas para o início de 2009

metro_acesso150A Companhia do Metropolitano de São Paulo já deu início ao projeto que prevê a implantação de uma rede de telefonia móvel em toda a estrutura dos trens metropolitanos, algo que deve começar a ser implantado até o final deste ano.

Por isso, além de poder usar o celular no trajeto, os usuários dos trens da Linha 4 - da Vila Sônia, na zona oeste, à Estação Luz, na região central - também poderão navegar na internet em banda larga e assistir vídeos.

Leia também:

Luís Valença, presidente da concessionária ViaQuatro, explica que a nova linha terá inovações nos próprios trens, no sistema de sinalização (que controla os trens e sua movimentação na linha), no sistema de comunicação (voz, dados e imagem) e no centro de controle que será instalado no pátio da Vila Sônia.

As portas de plataforma serão outra novidade, como explica o executivo. "Trata-se de uma espécie de divisória instalada na plataforma, separando-a dos trilhos". O sistema de controle irá parar o trem no local exato de forma que as portas fiquem alinhadas com as portas da plataforma que se abrirão automaticamente e de forma sincronizada.

"Esta novidade trará para o usuário da Linha 4 mais segurança, além de diminuir as ocorrências que perturbam a operação, como a queda de objetos nos trilhos", explicou.

Além de ar condicionado e baixo nível de ruído, uma rede digital sem fio, do tipo WiFi, vai permitir que os usuários naveguem na internet em alta velocidade. A disponibilidade do serviço, no entanto, dependerá dos acordos do Metrô com as operadoras, como salientou Valença.

Na Linha 4 será implantado também um sistema do tipo CBTC (Communications Based Train Control), que utiliza rádio para estabelecer a comunicação entre os trens e o sistema de controle.

Será possível controlar os trens utilizando o conceito de bloco móvel, que permite que eles se aproximem ou se afastem uns dos outros em função da velocidade de deslocamento, o que vai permitir uma redução do intervalo de tempo entre os trens.

Na Linha 4 este intervalo será de 75 segundos, enquanto atualmente, nas outras linhas do Metrô, o intervalo entre os trens é de 101 segundos.

Além disto, explica Valença, "esta tecnologia permite a operação no modo driverless", ou seja, sem condutor. Mas o executivo salienta que "trata-se de um aspecto técnico. A definição de ter ou não um condutor dentro do trem ocorrerá na fase de detalhamento do projeto, quando serão tratadas as questões operacionais".

No caso do uso do celular, o Metrô espera assinar contrato com todas elas nos próximos dias. Valença também explica que a ViaQuatro é responsável somente pela Linha 4. Por isso, estender os avanços tecnológicos dessa linha para as demais depende de decisão da Companhia do Metropolitano.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail