Home > Notícias

Este deve ser o Natal do celular 3G

Conheça as características da Terceira Geração, quem já oferece, a área de cobertura e quanto custa o serviço

Por Nando Rodrigues, da PC WORLD

26/10/2007 às 17h59

celular_internet_70.jpg
Foto:

Reportagem feita a partir de dúvida de leitor; saiba mais

celular_internet_150O Natal está chegando e, como acontece todos os anos, a venda de telefone celulares tende a aumentar consideravelmente. O motivo: o grande número de lançamentos que os fabricantes despejam no mercado e também as ofertas atraentes das operadoras em busca de novos clientes, que podem incluir aparelhos de graça para quem migrar de outra operadora.

Até setembro deste ano, segundo número do site Teleco, o Brasil contava com mais de 112 milhões de telefones celulares ativos, com um crescimento acumulado no ano de 12%. No mesmo período, o número de telefones fixos em operação no País é de ‘apenas’ 39 milhões, praticamente o mesmo volume do final de 2006.

Características técnicas diversas, como capacidades multimídias (câmeras digitais, tocadores MP3, sintonização de rádio), design e tamanho continuam a chamar a atenção dos usuários, ávidos por novidades.

Entretanto, cresce o interesse pelos serviços que podem ser acessados a partir desses dispositivos móveis – e-mail, internet, capacidade para colocar posts em blogs ou subir imagens para sites de fotografia, apenas para citar alguns – e, claro, a facilidade e velocidade com que isso é feito. Nesse momento, compreender um pouco das características da rede usada pela operadora de celular pode ajudar.

O que é uma rede 3G?
No que depender das propagandas das operadoras celulares, os usuários podem ter dificuldades para compreender o que exatamente define a Terceira Geração (3G) da telefonia celular.

O assunto pode ser definido do ponto de vista de tecnologia – e isso será feito logo a seguir. Mas é mais fácil compreender o tema a partir dos serviços que estas redes podem entregar e aqui vale uma observação importante: se o usuário utiliza o celular apenas para falar (serviço de voz) e envio de mensagens de texto, a rede, seja ela 2G, 2,5G ou 3G, não faz a menor diferença. As três únicas coisas que ele deve levar em conta no momento de contratar uma prestadora é qualidade da voz, cobertura da rede e o preço de serviço.

As coisas começam a mudar quando o usuário optar por usar o celular para tarefas mais elaboradas como enviar e receber e-mails (corporativo ou não), acessar a internet, baixar e produzir conteúdos multimídia, enviar mensagens de vídeo, entre outros. Para que estes serviços sejam realizados de forma satisfatória, torna-se necessário uma conexão de alta velocidade, ou seja, banda larga móvel.

Veja abaixo as principais características de gerações de telefonia celular usadas no Brasil:

  • 1G – Redes analógicas; devem deixar de ser usados a partir do segundo semestre de 2008
  • 2G – Redes digitais, com transmissão de dados a 14,4 kbps. Exemplo: CDMA, TDMA e GSM – transmissão de ados
  • 2,5G – Redes que utilizam tecnologias intermediárias, permitindo a transmissão de dados por pacotes até 144 quilobits por segundo (kbps). Exemplo: CDMA200 1xRTT e GPRS
  • 3G – Redes que permitem transmissão de dados por pacotes até 2 megabits por segundo (Mbps). Exemplo: WCDMA e CDMA EVDO

Ao permitir velocidades mais altas de transmissão de dados por pacotes a 3G torna possível a entrega adequada de serviços de entretenimento (TV móvel, jogos online, streaming de vídeo, entre outros), permite uma experiência do acesso à internet mais eficiente e confere mobilidade real para funcionários que necessitam ter acesso a aplicações corporativas mesmo que estejam afastados do seu local de trabalho.

Quem oferece serviços 3G no Brasil
Dados da Infonetics Research mostram que no primeiro trimestre de 2007, a receita mundial com a venda de aparelhos celulares em todo o mundo chegou a 35,5 bilhões de dólares (10% disso referentes a vendas na América Latina e Caribe), valor que mostra uma queda de 13% em relação ao mesmo período do ano anterior. No período analisado, 10% desse total correspondem a smartphones, ou 18% do volume total de unidades comercializadas.

“Até o momento, as vendas de smartphones estavam direcionadas aos usuários corporativos, com o lançamento do iPhone da Apple e do BlackJack da Samsung, ambos com apelo ao consumidor final, pode mudar essa tendência e alterar a dinâmica do mercado de telefonia móvel”, afirma Richard Webb, analista do Infonetics Research, em comunicado à imprensa.

Se a cobertura das redes 3G com acesso à internet móvel em banda larga com velocidades acima de 1 Mbps em países da Europa, além dos Estados Unidos, Austrália e Japão é muito semelhante à área total coberta com o serviço de telefonia móvel, o mesmo não acontece no Brasil.

O serviço Vivo Zap, da Vivo, não está disponível em toda a rede da operadora. Com a tecnologia CDMA EVDO (que entrega velocidades médias de acesso entre 300 kbps e 700 kbps), ele está restrito a apenas oito estados, totalizando 27 cidades: SP (11); PR (2); SC (2); RS (2); DF; RJ (5); ES (1); BA (3). O serviço acessado por meio da rede CDMA 1xRTT (velocidades médias de acesso entre 60 kbps e 100 kbps) está disponível em 19 estados (mais o Distrito Federal), totalizando cerca de 1.900 municípios.

As operadoras celulares que utilizam tecnologia GSM – TIM, Telemig Celular, Oi, Claro, CTBC, Vivo, Telemig Celular e Amazônia Celular – também têm suas ofertas de internet móvel em banda larga baseadas em GPRS (até 50 kbps) e EDGE (até 200 kbps). Apesar da velocidade menor, este serviço de dados tem a vantagem disponível da cobertura nacional, quer pela rede própria da operadora ou por meio de contratos de roaming com outras operadoras.++++

Quanto custa a 3G
O preço do acesso em uma rede 3G tem duas componentes. A primeira é o dispositivo de acesso, seja um celular (que pode funcionar como modem do PC ou notebook) ou placa, e seu preço envolve uma equação complexa já que pode depender do plano de dados contratado, características técnicas do dispositivo, tempo de existência dele no mercado (os mais novos são necessariamente mais caros) e o subsídio que a operadora decide oferecer. Há casos em que o aparelho ou dispositivo pode sair de graça em função de promoções que as operadoras realizam. Uma boa pesquisa pode representar uma economia e tanto para o usuário.

A segunda componente é o serviço de dados propriamente dito. O acesso ao serviço 3G da Vivo, o Vivo Zap, pode ser feito por meio de telefones celulares compatíveis com a tecnologia CDMA EVDO (a Vivo comercializa modelos da Samsung, LG, Nokia, Pantech e Motorola) e que podem funcionar como modem para conectar o computador (PC ou desktop) à internet, ou por meio de placas/cartões PCMCIA, de acesso dedicado, em diversos modelos.

O serviço 3G, cujo preço independe do serviço de voz, mas que deve ser contratado também, é oferecido em três modalidades para quem faz acesso via placa: 49,90 reais para até 250 MB por mês (mais 50 centavos de real por MB excedente); 99,90 reais para até 1 GB por mês (mais 10 centavos de real por MB excedente); e 139,41 por um volume ilimitado de dados. Nesse caso, o usuário estará isento do pagamento da assinatura. Para o acesso feito por meio de um celular, o pacote de serviços e denominado SmartMail e custa 69,90 reais por mês para um volume ilimitado de dados, mesmo valor cobrado pelo acesso na rede GSM da operadora, pelo serviço Blackberry, com acesso também ilimitado.

A CTBC oferece o NetSuper EDGE e o NetSuper GPRS e os preços variam de acordo com o estado onde o serviço de dados com volume ilimitado é oferecido: 119,13 reais (MG, SP); e 126,20 reais (GO, MS).

Os serviço de internet móvel da Claro (GPRS) está disponível em 21 estados (SP, MG, PR, SC, RS, RJ, ES, BA, SE, AL, PE, PB, CE, RN, PI, AC, GO, MT, MS, RO, TO) mais o Distrito Federal. Para quem contratar os pacotes de 500 MB (79,90 reais) ou 2 GB (99,90 reais), recebe a placa gratuitamente (Sony Ericsson GC89) e goza de desconto de 50% nos cinco primeiros meses e primeira mensalidade grátis. Quem optar pelo acesso por celular ou PDA conta com diversos pacotes de dados, com preços a partir de 19,90 reais (10 MB por mês), também com desconto de 50% nos cinco primeiros meses e primeira mensalidade grátis.

A Telemig Celular oferece seis planos de dados diferentes, para volumes de dados entre 2 MB e 5 GB, com preços entre 4,90 reais a 99,90 reais por mês. A área de cobertura pode ser conferida aqui. A Amazônia Celular oferece pacotes com velocidades e preços semelhantes disponíveis em sua área de cobertura.

O TIM Web, da operadora TIM, é oferecido em três pacotes de dados diferentes: 1 GB (49 reais), 250 MB (19 reais) e 40 MB (9,90 reais) – mais 25 centavos de reais por MB excedente. A cobertura por GPRS está disponível em todo o Brasil; por EDGE, em mais de mil cidades.

Na Oi, o serviço Oi Dados está disponível em pacotes que começam com 2 MB (9,90 reais por mês) até 72 MB (149,90 reais) dentro de sua área de cobertura. A operadora tem uma promoção para o plano de 31 MB (69,90 reais) que oferece, até o final do ano, acesso ilimitado.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail