Home > Notícias

Google se alia a MySpace para desafiar crescimento explosivo do Facebook

Facebook vê reinado abalado por parceria entre Google e MySpace

Por Redaçãodo IDG Now!

05/11/2007 às 11h48

Foto:

Mark Zuckerberg não vai passar um fim de semana dos melhores por um motivo grande. Em apenas uma semana, o que parecia um reinado supremo do Facebook frente às redes sociais abertas que permitem que a comunidade desenvolvam aplicativos se transformou em um conchavo no melhor estilo "todos contra um".

Leia mais:

Chamado anteriormente de "Maka-Maka", o projeto secreto do Google foi revelado no meio da semana: o OpenSocial não apenas permite que a comunidade criasse aplicativos para o Orkut, como instaura um padrão de desenvolvimento de APIs que facilitaria a troca de tais aplicativos entre diferentes redes sociais.

O que parecia apenas uma boa aposta do buscador contra dois rivais em potencial nos mercado norte-americano se transformou em ataque pesado quando um deles, o MySpace, rede social mais popular dos Estados Unidos, anunciou que suportaria aplicativos criados pelo OpenSocial, deixando o Facebook sozinho com um modelo próprio de desenvolvimento.

Números de ambos os lados são de cair o queixo. De um lado, o Google afirma que seu OpenSocial chegará a mais de 100 milhões por meio das redes Orkut, LinkedIn, Ning, Hi5, Plaxo e Friendster, enquanto só o MySpace contabiliza 114 milhões de usuários só nos Estados Unidos.

O Facebook, por sua vez, conta com a vantagem de já ter cerca de 700 aplicativos criados para sua rede cinco meses após abrir sua API, algo que significou um aumento de 89% nos seus usuários em um ano, atingindo 50 milhões de registrados com uma média espantosa de 500 mil novos por dia.

A iminente batalha entre Facebook e todas as outras redes sociais, lideradas por Google e MySpace, é o ápice de um mercado em constante aquecimento nas últimas semanas: a de comunidades virtuais.

No Brasil, a onda vem no formato de investimento de grandes players em operações nacionais de seus serviços. A primeira delas foi o serviço musical Last.FM que, após negociar com órgãos responsáveis por direitos autorais no país para abrir um escritório local com direito a CEO brasileira, fechou sua primeira parceria local com o festival Motomix.

Semanas após, foi a vez de o próprio MySpace iniciar uma silenciosa operação nacional comandada pelo executivo Emérson Calegaretti, primeiro funcionário também do Google no Brasil.

Alegando que não viria ao país para bater de frente com o sucesso estrondoso do Orkut, o MySpace lançou sua versão totalmente em português, com lançamento oficial programado para 2008.

Menos festejada entre todas as opções, o Mash, lançado pelo Yahoo seguindo o mesmo preceito de abertura do Facebook, com campos e aplicativos do usuário que podem ser livremente alterados por seus amigos, também ganhará versão nacional em 2008, segundo o presidente do Yahoo Brasil, Guilherme Ribeboin.

Entre as opções nacionais, o Grupo Estado revelou também sua nova investida em comunidades, o Limão, que mistura material jornalístico com conteúdo gerado pelos usuários, enquanto o serviço de comparação de preços boo-box abriu sua API para o desenvolvimento de aplicações pela comunidade.

Na mesma trilha do Last.FM e do MySpace, o Facebook, por sua vez, já admitiu que planeja versões internacionais de seus serviços, ainda sem data definida. Mas a preocupação do jovem Zuckerberg, fundador do Facebook de apenas 23 anos, deverá estar bem longes de países tropicais pelas próximas semanas.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail