Home > Notícias

Guia básico de redes para pequenas empresas

Quando a empresa cresce e a rede começa a ficar estrangulada, é hora de pensar numa saída wireless

Por redação, PC World EUA

09/11/2007 às 16h39

Foto:

As tecnologias sem-fio estão cada vez mais presentes no mundo dos negócios, e uma quantidade cada vez maior de usuários utilizam os serviços móveis como nunca antes visto. Em qualquer ambiente de trabalho – pode ser um escritório tumultuado, um grande provedor de internet, aeroportos, hotéis e algumas redes de cafés – podemos encontras executivos, profissionais liberais de várias categorias fazendo parte do seu trabalho a partir de um dispositivo móvel - notebook ou smartphone. Aqui está o que você precisa saber para conectar sua rede de comunicação sem confusão e tempo ocioso.

Visão geral do acesso sem fio
Uma rede wireless é composta basicamente por três tipos de dispositivos, todos trabalhando em harmonia para entregar uma conexão de internet, correio eletrônico, servidores de arquivos, impressoras, entre outras:

Clients: É o elemento básico da sua rede de comunicação wireless. Ele pode ser um notebook com um cartão wireless (PCMCIA ou USB), um PDA ou celular, ou mesmo PCs aos quais se pode adaptar placas para acesso sem fio. É possível montar uma rede wireless utilizando apenas clientes e adaptadores (chamada de rede ad-hoc) e realizar tarefas simples como transferência de arquivos e compartilhamento do HD das máquinas. Entretanto, a função primária de um dispositivo cliente é conectar seus usuários ao restante da rede e com a internet, usando aplicações client comuns como browser da web e aplicativos de e-mail.

Roteadores: Quando você liga seu notebook, ele automaticamente procura algo para se conectar. Em uma rede de pequena empresa, esse “algo” geralmente é um roteador wireless (as vezes chamado de gateway de rede wireless banda larga). Um roteador wireless é uma pequena caixa com algumas portas para cabos ethernet na parte de trás e uma antena. Dentro da caixa, alguns chips e firmwares fazem o trabalho de estabelecer a conexão para vários devices e controlar quem pode acessar ou não.
Em um escritório pequeno, o roteador geralmente serve como um hub primário de toda a rede, conectando-se com desktop PCs com fio e notebooks wireless, e mantendo todos conectados à internet e um com o outro. Muitos roteadores podem ser facilmente configurados por um simples menu em seu browser da web. Um típico roteador oferece uma conexão confiável em uma distância de aproximadamente 45 metros em local fechado. De forma geral muitas redes de grande capacidade evitam roteadores wireless, usando roteadores com fio mais robustos em conjunto com Access Points (veja abaixo) para controlar o tráfego na rede.

Access Points: Grandes redes de negócios normalmente abrangem uma área enorme usando apenas um único roteador wireless. Access Points servem como extensor para sua rede. Ao contrário do roteador, um access point contém um firmware mínimo para gerenciar as conexões. Em vez disso, ele simplesmente permite que os devices wireless encontrem a rede por si só and deixam todo o trabalho de gerenciamento para o roteador. Access Points podem ser conectados diretamente em uma rede com fios já existente ou executáveis em modo “ponte”, que transmite dados via wireless entre o roteador e o clients.

++++ ESPECIFICAÇÕES WIRELESS
A maioria das especificações wireless são construídas com uma tecnologia base comum, mas cada uma possui diferentes capacidades.

802.11a: Estabelecido em 1999, a 802.11a tem uma longa e bem sucedida história em redes de negócios. Ela opera em uma freqüência de 5GHz e oferece velocidade de comunicação em até 54Mpbs. Ela permanece como uma das mais populares e estáveis especificações para dados de negócios.

802.11b: Opera na freqüência de 2,4 GHz, a faixa dedicada às aplicações industriais, científicas e médicas (Industrial, Scientific and Medical – ISM). Essa faixa vai de 2,4 GHz a 2,4835 GHz e oferece comunicação de até 11 Mbps. É uma freqüência muito usada. Telefones sem fio, equipamentos médicos e científicos, assim como aparelhos Bluetooth, trabalham na faixa ISM de 2,4 GHz. Hoje é raro encontrar aparelhos wireless compatíveis com essa freqüência, pois foi integrada ao novo padrão 802.11g.

802.11g: Em 2003, o 802.11g tornou-se a especificação wireless padrão para a maioria das redes de negócios ou particular, porque oferece a mesma taxa de comunicação de 54Mbps que a 802.11ª, enquanto também suporta antigos client hardware em 802.11b. Opera em uma freqüência de 2,4GHz.

802.11n: Esta é a próxima esperança de rede wireless veloz e atualmente é considerada uma especificação “rascunho” – ainda não foi ratificada pelo IEE (organização mundial que estabelece padrões para redes Ethernet sem fio). Muitos fornecedores de hardwares wireless já oferecem a 802.11n, que oferece taxa de transferência de dados muito mais rápida que os devices a, b e g, com velocidade superior a 248Mbps. Por operar em ambas as freqüências de 2,4GHz e 5GHz, a 802.11n e é compatível com todos os antigos padrões listados aqui.

SEGURANÇA WIRELESS
Por ser uma rede wireless que pode passar através das paredes do seu escritório, é de extrema importância que ela seja protegida contra acessos indesejados. Conhecendo suas ferramentas de segurança, será possível manter sua rede a salvo.

WEP: Sigla de Wired Equivalency Privacy, protocolo de segurança que criptografa os dados enviados e recebidos em uma conexão sem fios. Infelizmente, não é muito seguro e tem como alternativa o WPA.

WPA: Acrônimo de Wi-Fi Protected Access. É um protocolo de segurança com recursos adicionais de criptografia de informações e autenticação de usuários para redes sem fio. É mais seguro que o WEP. A força da segurança de seu WPA depende diretamente da dificuldade de sua senha de acesso, para isso utilize um número grande de caracteres e misture letras e números e evite palavras comuns.

WPA2: Este é basicamente o mesmo que a WPA acima, com a inclusão de um método de cálculo mais seguro chama AES-CCMP. Este método dificulta que hackers identifiquem os padrões que os ajudariam a ganhar acesso à sua rede.

Filtragem MAC Address: Todo device wireless tem um número de identificação próprio, chamado MAC Address, que se parece com esse exemplo: 08:00:69:02:01:FC. Esse número é geralmente impresso na parte externa do device para que fique visível e é uma ótima maneira de adicionar uma segurança extra em sua rede. Permitindo que o MAC Address faça uma filtragem em seu roteador, você pode determinar exatamente que devices são permitidos que se conectem e ele irá negar acesso para todos os outros usuários, mesmo que estes saibam sua senha.

++++ COLOCANDO TUDO EM ORDEM
Agora que você conheceu melhor os componentes e especificações básicas da conexão wireless, é hora de começar a montar sua rede de comunicação. Alguns conceitos para começar:

Escolha um padrão
O primeiro passo para escolher sua ferramenta wireless é decidir em qual padrão inserir sua rede. As escolhas principais seriam a 802.11g e a 802.11n, dependendo da sua aceitação em trabalhar com novas tecnologias. Se você prefere ficar com a tecnologia “testadae aprovada”, a 802.11g seria sua melhor aposta, pois está no mercado há anos. Já que muitos notebooks e outros dispositivos móveis wireless suportam a 802.11g, então é uma escolha segura.

Se, no entanto, você está procurando por uma distante atração – e não se importa em ter que desenvolver algumas atualizações no firmware do seu roteador nos próximos anos – então você pode considerar o 802.11n. Uma vez que essa especificação seja ratificada, ela será tão estável quanto a 802.11g é hoje e fará a rede “g” parecer sem muito valor futuramente. Se você optar mesmo pelo 802.11n, antes de comprar pergunte ao fabricante por uma explicação clara sobre sua atualização e política de suporte. Você quer uma garantia de que sua rede ficará completa com a especificação 802.11n.

Escolha seus componentes
Presumindo que você já tenha um notebook wireless para trabalhar, a maior decisão que você deverá tomar para escolher seu hardware é que tipo de roteador comprar. Primeiro determine qual padrão você quer usar, como descrito acima. Então considere quais características de segurança usar. Nem mesmo considere comprar um roteador que não suporte WAP2 (isso se você encontrar algum roteador novo que não suporte).

Procure também por suporte a servidores RADIUS. RADIUS é um sistema usado em grandes redes para automatizar o gerenciamento de segurança, e se você pode não ter um uso imediato para isso, mesmo assim é uma boa ferramenta de se ter enquanto seu negócio se desenvolve. Se o seu escritório é grande ou se você quer que seus empregados possam trabalhar em áreas externas da empresa, você também poderá comprar alguns Access Points para estender o alcance da sua rede.

Monte seu sistema
Para montar sua rede, comece seguindo as instruções do fabricante para configurar seu roteador. O processo varia de um roteador para outro, mas irá sempre consistir em alguns elementos básicos: criar sua conexão de Internet, escolher um nome (SSID) para a sua rede e ajustar a segurança. Mas antes de fazer qualquer uma dessas coisas, cheque no site do fabricante para qualquer atualização de firmware que podem detectar e arrumar gargalos de segurança em seu roteador.

Tenha certeza de dar a sua rede um nome único que será fácil de lembrar. O que quer que faça não deixe esse nome a mostra, pois poderá repassar a eventuais hackers muita informação sobre o hardware de sua rede. Você também deve considerar em desativar a banda larga SSID para que transeuntes não entrem em sua rede facilmente. Quando ajustar a segurança, escolha a criptografia WPA2 e pense em uma senha única com muitos caracteres. Anote a senha, mas mantenha em sigilo para evitar que caia em mãos erradas. Afinal, esta é a chave para seu banco de dados.

Se você está usando Access Points para estender sua rede, você pode conectá-los diretamente ao seu roteador princiapl usando cabos de Ethernet ou executá-los em modo “ponte” para transmitir dados wireless do e para o roteador, dependendo de onde você planeja colocá-los. Uma vez que seu roteador e access points estão alocados, então é o momento para começar a adicionar devices à rede e ao trabalho!

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail