Home > Notícias

Amazon inova ao entregar e-books no leitor Kindle via rede 3G

Em menos de um minuto, usuários podem baixar livros ou edições de jornais, por rede 3G

Por IDG News Service/EUA

21/11/2007 às 9h51

Foto:

A Amazon.com não é a primeira empresa a vender um leitor de e-books com um display E-Ink, mas seu método para entregar estes livros pode ter inovado no uso de redes de dados móveis.

Leia mais:

Os usuários do Kindle, anunciado na segunda-feira (19/11) por 399 dólares, podem comprar livros e baixá-los via rede 3G com o dispositivo - em menos de um minuto, segundo a empresa.

Eles também podem comprar o jornal do dia ou se cadastrar para receber revistas, jornais e blogs por uma taxa mensal.

Para entregar todos estes dados, a Amazon está utilizando a rede de celular 3G da Sprint Nextel. Mas os donos de um Kindle nunca virão uma conta para este serviço, pois o custo estará incluso no preço do conteúdo.

Este é um movimento raro, que pode se repetir enquanto os provedores de conteúdo e operadoras móveis buscam por fórmulas de sucesso para ganhar dinheiro sobre redes de alta velocidade de dados.

O Kindle sempre está conectado à rede EV-DO (do inglês Evolution-Data Optimized) da Sprint, a menos que esteja fora da área de cobertura - neste caso, a velocidade é menor.

Os usuários também podem desligar o rádio por uma tecla atrás do dispositivo, segundo o diretor do Kindle na Amazon, Charlie Tritschler. Isto aumenta a duração da bateria, de dois dias para uma semana.

O download dos livros é feito rapidamente, pois os arquivos são pequenos - de 500 Kb a 800 Kb, em média.

Os usuários também podem comprar livros online e “transferí-los” para o Kindle. O valor dos e-books é de 9,99 dólares, e as assinaturas de jornais custam a partir de 5,99 dólares por mês.

Há também um pequeno player de música no dispositivo, para que o usuário ouça enquanto lê. A Amazon, contudo, não está vendendo músicas pela EV-DO - os usuários terão que incluir por si próprios.

Segundo Tritschler, a Amazon planejou, inicialmente, usar Wi-Fi ao invés de 3G, mas isto demandaria que os usuários encontrassem um hotspot e fizessem o login manualmente.

O modelo de negócios wireless da Amazon para o Kindle parece sem precedentes, de acordo com um analista do Yankee Group, Phil Marshall. É algo que lembra o passo da Research in Motion, que popularizou os e-mails móveis usando seus próprios servidores e dispositivos - o BlackBerry.

Outras empresas devem seguir o modelo da Amazon, mas para ter sucesso, deverão ser estáveis e ter canais de venda online, disse Marshall.

Há aplicações para leitores de livros disponíveis para a maioria das plataformas de smartphones - mas ainda não para o iPhone da Apple. As telas LCD de telefones, contudo, são menores e causam cansaço na vista, disse Tritschler. O Kindle, assim como o Sony Reader, tem um display criado para se parecer com papel.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail