Home > Notícias

Saiba como fazer compras de Natal na internet sem correr riscos

Confira as dicas de especialistas para fazer suas compras de final de ano com segurança e conforto pela internet

Por Daniela Moreira, repórter do IDG Now!

05/12/2007 às 11h49

compra_risco_150.jpg
Foto:

compra_risco_150Fazer as compras de Natal pela internet pode evitar muitas das dores de cabeça tradicionais desta época do ano. Em apenas alguns cliques, é possível comparar preços sem ter de bater perna de loja em loja. Tumultos nas prateleiras e filas no caixa também estão fora do script.

Leia mais:

Mas para garantir que não faltem presentes embaixo da árvore de Natal, é preciso tomar alguns cuidados. Com o aumento no volume de compras - as lojas virtuais devem movimentar 1 bilhão de reais neste Natal, segundo o e-bit -, também aumentam os riscos de golpes e fraudes e os problemas com atrasos nas entregas e produtos trocados.

Confira algumas dicas, elaboradas a partir de informações da Cartilha do E-Consumidor da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), para fazer suas compras de final de ano com tranqüilidade.

1. Conheça o fornecedor
Antes de comprar qualquer coisa, verifique se o fornecedor tem razão social, CNPJ, endereço e outras formas de contato além do e-mail - como um telefone fixo, por exemplo. Também é recomendável fazer uma pesquisa de reputação online - sites como o Reclame Aqui trazem as listas das lojas mais reclamadas, inclusive as virtuais - e, de preferência, ter algumas referências de compras bem-sucedidas no estabelecimento virtual.

2. Fique atento à segurança da loja
Ao fazer uma compra online, seus dados mais sensíveis - nome, endereço, número de cartão de crédito - são expostos, portanto todo cuidado é pouco. O primeiro indicativo de que uma loja é confiável é se o seu endereço eletrônico começa com “https”, o que indica conexão com algum tipo de criptografia. Certificados de segurança de empresas renomadas como Certisign e Verisign (que são do mesmo grupo) e do projeto Internet Segura também são indicativos de que o site tem uma preocupação com a proteção do cliente.++++

compra_risco_150

3. Proteja-se dos golpes
É muito simples clonar a aparência de um site ou até mesmo criar uma URL parecida com a original que leve o usuário a achar que está em uma loja de confiança quando na verdade caiu na armadilha de um criminoso online. Sempre desconfie de e-mails com promoções que indicam o link, mesmo que aparentemente eles sejam de uma loja na qual você realmente e cadastrado. Normalmente esses e-mails trazem alguns erros de digitação ou gramática ou remetentes diferentes daqueles usados pelas lojas verdadeiras, embora utilizem logotipos e templates iguais aos originais. Na dúvida, digite você mesmo o endereço da loja e procure a promoção sugerida.

4. Escolha senhas seguras
Se a loja exigir um cadastro, escolha uma senha segura. Não se esqueça que seus dados pessoais - como nome, endereço e CPF - ficarão protegidos por essa senha. Evite as combinações óbvias, como datas de aniversário (sua ou de familiares), número de telefone, palavras conhecidas (como “cavalo”, “casa”, etc.) e seqüências numéricas ou alfabéticas (como 12345 ou ABCDEF).

Combine números, letras maiúsculas e minúsculas e caracteres especiais na criação da sua senha e use uma senha diferente para cada serviço.

5. Tire todas as dúvidas sobre o produto
Antes de fazer a compra, avalie todas as características do produto, verifique a garantia e as políticas de assistência técnica e troca do fabricante. Se ainda restarem dúvidas, procure uma loja física para avaliar o produto mais de perto.

6. Preste atenção às condições de pagamento e entrega
Fique atento às condições de pagamento do produto - verifique as políticas de juros para parcelamento e fique atento se há desconto para compra à vista. Não se esqueça de somar ao valor final do produto a taxa de frete - normalmente informada apenas na hora de fechar a compra. Preste atenção ainda ao prazo de entrega informado pela loja. Se o site tiver um sistema de acompanhamento do pedido, não custa verificar o andamento do processo.

Para as datas especiais, como o Natal, algumas lojas oferecem entrega garantida, o que significa que o seu produto deve chegar até o dia D - no caso, a véspera de Natal -, mas é sempre melhor fazer o pedido com a maior antecedência possível para evitar decepções e ter tempo para reclamar caso a entrega atrase.++++

compra_risco_150
7. Mantenha registros das suas compras
Documente todo o processo de transação com o site. Guarde todos os e-mails trocados e imprima ou faça um print screen de todas as telas de confirmação. Se precisar reclamar, você terá toda a documentação necessária.

8. Exerça os seus direitos de e-consumidor
Se apesar de todas essas precauções você tiver problemas com fraudes ou entregas, veja a seguir como proceder. As dicas são da advogada Maíra Feltrin, do Idec:

- Você tem o direito de se arrepender de qualquer compra feita pela internet até sete dias após a entrega. Neste caso, notifique o fabricante da sua decisão, respeite as políticas de devolução - você pode ter que pagar o frete para enviar o produto de volta, por exemplo - e não danifique ou altere o produto (se for um perfume, por exemplo, não adianta usar metade e querer devolver o resto).

- Se o produto atrasou, mesmo que um dia, você tem o direito de solicitar o ressarcimento. Notifique oficialmente a empresa por telefone e, preferencialmente, formalize o pedido por meio de uma carta registrada com aviso de recebimento determinando um prazo para o reembolso - o Idec recomenda de cinco a dez dias.

- Em caso de entrega de um produto errado, a loja deve trocar o item o mais rápido possível, de preferência ainda dentro do prazo previsto para entrega inicialmente, caso o produto tenha chegado antes.

- Se a loja se recusar a ressarcir o cliente, ele pode entrar na Justiça. Causas no valor de até 20 salários mínimos dispensam advogado. Ações com valor entre 20 e 40 salários mínimos ainda podem ser movidas no Tribunal de Pequenas Causas, mas exigem a presença de um advogado. Em casos em que a loja causou problemas além dos materiais - se você ficou sem presente para dar ao seu filho no Natal, por exemplo - a ação pode incluir indenização por danos morais.

- Nos casos de golpe, a recomendação da advogada é que o cliente comunique a instituição financeira responsável tão logo constate a fraude e faça um boletim de ocorrência para minimizar os prejuízos.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail