Home > Notícias

Operadoras entregam propostas de 3G para Anatel nesta terça-feira

Presidente da Anatel espera mesma competitividade vista nos leilões da segunda geração

Por Taís Fuoco, editora do Computerworld

11/12/2007 às 11h14

Foto:

As operadoras interessadas nas freqüências de terceira geração de celular devem entregar suas propostas nesta terça-feira (11/12), a partir das 10 horas da manhã na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Leia mais:

Só poderão participar do leilão, que acontece dia 18 de dezembro, as empresas que tiverem protocolado suas propostas hoje na agência.

No dia 18, a agência abre os envelopes e promove leilão em todas as regiões que tiverem mais de um interessado. A disputa só acaba quando as operadoras deixarem de fazer lances.

Serão oferecidas quatro licenças em cada região do País, o que vai permitir que as quatro grandes operadoras - Vivo, TIM, Claro e Oi - possam levar os serviços de terceira geração para as suas atuais áreas, se quiserem.

A diferença em cada região é o tamanho da faixa oferecida - serão três faixas de 10 Mhz e uma de 15 Mhz. Por isso, operadoras com menos espectro deverão brigar mais acirradamente pela faixa maior. Tudo vai depender da disponibilidade de freqüências de cada uma delas em cada ponto do País.

Ao participar ontem (10/12) do Fórum Telequest, o presidente da Anatel, Ronaldo Mota Sardenberg, afirmou esperar, no leilão da próxima semana, a mesma agressividade vista nos últimos leilões de segunda geração, em setembro, quando os ágios pagos foram superiores a 1.200% em alguns casos.

Em outubro, a Anatel via entraves para permitir a oferta de 3G antes do leilão. Na última terça-feira (04/12), o celular de terceira geração da Claro chegou a São Paulo.

"Pelo que temos recebido de informação, o leilão será bastante competitivo. Há gente disposta a fazer loucuras", afirmou Sardenberg aos jornalistas.

Serão 36 lotes em 11 regiões do País, com preços mínimos que, somados, correspondem a 2,8 bilhões de reais. Segundo a agência reguladora, serão vendidas freqüências em quatro bandas - F, G, I e J - enquanto a banda H será vendida em momento posterior porque o órgão pretende destinar esse espectro a novas operadoras que ainda não atuem no mercado ou a empresas menores que, eventualmente, não consigam comprar faixas neste primeiro leilão.

Pelas regras do processo, quem quiser comprar faixas na região metropolitana de São Paulo deverá levar obrigatoriamente faixas na região Norte, e quem comprar espectro no interior de São Paulo levará também a região Nordeste.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail