Home > Notícias

Imagination Technologies quer dar novo fôlego à arquitetura MIPS

Empresa irá usar o nome MIPS em sua nova linha de processadores, mas continuará o desenvolvimento de GPUs PowerVR compatíveis com múltiplas arquiteturas.

Agam Shah, IDG News Service

25/02/2013 às 16h42

Foto:

A Imagination Technologies está prosseguindo com o desenvolvimento da arquitetura de processadores MIPS, tentando desfazer rumores sobre o futuro da tecnologia depois que adquiriu a MIPS Technologies por um preço muito baixo no final do ano passado. A empresa é amplamente conhecida pelas GPUs PowerVR usadas em processadores como o A5 e A6, da Apple, e nos chips para tablets da Intel. Os ativos adquiridos da MIPS Technologies serão a base para o desenvolvimento de futuras CPUs, disse Tony King-Smith, vice-presidente executivo de marketing da Imagination.

“Estamos chamado todas as nossas famílias de processadores de MIPS”, disse ele. 

A Imagination adquiriu a MIPS por US$ 60 milhões em novembro do ano passado no que foi considerado uma manobra astuta, levando junto 82 patentes e 160 funcionários. Separadamente a MIPS vendeu 498 patentes para um consórcio de fabricantes de processadores que inclui a rival ARM por US$ 250 milhões. A MIPS estava à venda por meses, mas não havia compradores até a Imagination se interessar.

Com a aquisição a Imagination Technologies, que é conhecida por sua tecnologia em processamento de imagens, inesperadamente se torna a terceira maior fornecedora de arquiteturas de processamento para smartphones, tablets e sistemas embarcados, atrás da ARM e fabricantes com produtos baseados na arquitetura x86 como a Intel e AMD. Processadores MIPS são usados em alguns tablets Android de baixíssimo custo, alguns deles à venda por menos de US$ 100 em países em desenvolvimento, mas tem uma grande presença no mercado de computação embarcada.

A aquisição aconteceu por causa de propriedade intelectual valiosa da MIPS e de seus funcionários, disse King-Smith. A Imagination agora tem uma grande equipe de engenheiros trabalhando tanto em CPUs quanto em processadores gráficos. Mas gráficos continuam sendo um dos principais negócios da empresa, na qual tanto a Apple quanto a Intel tem uma participação.

CPUs futuras da MIPS como os processadores Aptiv serão parte das ofertas da Imagination, disse King-Smith. A Imagination já oferece um processador para aplicações chamado Meta, cujo destino será anunciado no futuro, disse King-Smith. Os processadores Aptiv serão usados em smartphones, tablets e sistemas embarcados. Entretanto, executivos da Imagination não comentaram quando aparelhos equipados com os novos chips chegarão ao mercado. “Não ficaremos parados”, disse King-Smith.

A Imagination projeta CPUs e GPUs e licencia os designs, assim como a ARM. A empresa está mostrando equipamentos de rede e telecomunicações baseados em processadores MIPS atuais durante o Mobile World Congress em Barcelona, Espanha, nesta semana. A empresa também irá demonstrar sua próxima geração de GPUs, batizada de PowerVR 6, com um foco específico em dispositivos móveis.

Os processadores MIPS atuais tem múltiplos pontos fortes, incluindo bom suporte a multithreading e uma arquitetura de 64 Bits, segundo King-Smith. Analistas também avaliaram positivamente os componentes, destacando o baixo consumo de energia. O desenvolvimento de uma versão do sistema operacional Android, da Google, para os processadores Aptiv continua, disse o executivo.

A empresa não comentou se o sistema operacional Windows RT será compatível com os processadores MIPS no futuro. Entretanto, o diálogo entre a Imagination e a Microsoft continua, disse David Harold, um porta-voz da Imagination. A empresa há muito trabalha em conjunto com a Microsoft no suporte à tecnologia DirectX em suas GPUs PowerVR.

Apesar da aquisição da MIPS, a Imagination diz que sua GPU PowerVR continuará compatível com uma ampla variedade de arquiteturas, incluindo a ARM, MIPS, x86 e PowerPC. O suporte a múltiplas plataformas tem sido a chave do sucesso da PowerVR, disse King-Smith.

O objetivo imediato da Imagination é garantir aos seus clientes que novos processadores MIPS estão em desenvolvimento. A empresa tem uma pequena presença no mercado de mobilidade, e vem perdendo participação para a Intel e ARM no mercado de sistemas embarcados, onde tradicionalmente é forte. Produtos da MIPS também são populares em TVs, set-top boxes e equipamento de rede, entre outros.

Segundo Jim McGregor, principal analista da Tirias Research, será interessante ver como a Imagination se sai com sua estratégia para CPUs e GPUs. “Há benefícios significativos em desenvolver a CPU e a GPU juntos, como vem fazendo a ARM (com sua GPU Mali-400), mas a Imagination não vê as coisas por este ângulo. Eles acreditam que CPUs e GPUs tem de ser desenvolvidos separadamente”, disse o analista.

Isto irá fazer com que tanto a CPU quanto a GPU sejam mais “portáveis” e compatíveis com outros produtos, o que é positivo para a Imagination já que a maioria da renda da empresa está atrelada ao uso de suas GPUs na arquitetura ARM. Por exemplo, a Apple combina processadores ARM com GPUs PowerVR em seus chips A4, A5 e A6 para dispositivos portáteis. A Sony fez a mesma coisa com o processador do PlayStation Vita.

A Imagination pode estar procurando uma forma de converter alguns dos consumidores de suas CPUs para a arquitetura MIPS, disse McGregor. “Embora eu ache que isso seja possível, já que cada fabricante de chips sempre procura uma forma de se diferenciar, não será fácil ou rápido converter clientes que já adotaram o que se tornou o mais rico ecossistema de processadores, o ARM.”, disse McGregor.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail