Home > Notícias

Interface do Firefox será mais “humanizada”, diz desenvolvedor

Novo integrante do Mozilla Labs promete aplicar inovações do projeto Enso ao browser para dar mais poder de comando ao usuário

Por IDG News Service/EUA

18/01/2008 às 14h54

Foto:

A Mozilla pretende iniciar testes com novas tecnologias de interface para seu browser de código aberto, Firefox, e outros produtos, informou Aza Raskin, ex-presidente da startup norte-americana Humanized, de onde foram contratados três novos profissionais pela Mozilla, esta semana.

Leia mais:

Raskin, que agora é líder de experiência do usuário no Mozilla Labs, disse, na quinta-feira (17/01) que vai trabalhar com tecnologias que permitam que as pessoas "façam qualquer coisa, em qualquer lugar e quando quiserem em seus computadores."

A Humanized, de Chicago, é conhecida por seu trabalho inovador no projeto Enso para criar interfaces mais intuitivas. Ao lado de Raskin, a Mozilla contratou, na quarta-feira (16/01), Jono DiCarlo e Atul Varma, também para trabalharem com o Firefox.

A interface do software Enso foi desenvolvida para facilitar a realização de tarefas diárias que demandem o uso de múltiplas aplicações ou funções. O software roda nos bastidores do sistema e permite que o usuário digite comandos simples para acessar as aplicações.

Com o Enso, se o usuário quer abrir o Firefox na tela principal, por exemplo, invés de clicar no ícone do browser na área de trabalho, ou acessar o menu "Iniciar" do Windows, o browser pode ser aberto pressionando a tecla Caps Lock e digitando "abra firefox."

"Estas idéias precisam ser exploradas na Mozilla", comentou Raskin. Hoje, o Firefox é o principal produto da Mozilla, embora a empresa ainda ofereça o cliente de e-mail Thunderbird, ambos em código aberto.

Raskin observa que muitos dos avanços na web, em termos de serviços online e mashups, foram desenvolvidos com a mente do desenvolvedor e, por este fator, correm o risco de tornar o navegador um mero veículo de entrega de aplicações de streaming - da mesma forma que ocorreu com o desktop.

O especialista pretende aproveitar tecnologias e idéias do projeto Enso para acrescentar mais interação humana não só ao browser como a qualquer aplicação na web.

"Quero ver o poder dos mashups não nas mãos do desenvolvedor, mas do usuário final - nas mãos das avós ou de um adolescente", declarou. "Aí você realmente pode escrever um e-mail e dizer 'Agora quero colocar um mapa nele' ou algo assim."

Embora tenha contratado três dos cinco sócio-fundadores da Humanized, a Mozilla não chegou a adquirir a empresa, mas agora a operação é efetivamente parte da Mozilla.

Entre os dois sócios-fundadores que ainda permanecem na Humanized, os arquitetos de sistemas Scott Robbin e Treasurer Andrew Wilson, Robbin ainda é parceiro de Raskin no projeto de buscas de músicas, Songza.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail