Home > Notícias

iPad não canibalizou as vendas de PCs, diz instituto

Levantamento do NPD Group com donos do tablet nos EUA mostra que apenas 12% deles deixaram de comprar um computadora; versão com Wi-Fi é a preferida

Computerworld / EUA

11/05/2011 às 11h42

Foto:

O iPad não afetou diretamente as vendas de computadores, como muiitos acreditam. É o que mostra um levantamento feito pelo instituto norte-americano NPD Group.

O levantamento aponta que durante as vendas de final de ano em 2010 nos Estados Unidos apenas 12% dos compradores do tablet da Apple deixaram de comprar de comprar computador tradicional para adquirir esse novo gadget, tornando a alardeada canibalização um fator menor.

Segundo o NPD Group, a queda das vendas de computadores possui uma explicação muito mais simples: os grandes números alcançados pelos fabricantes de PCs após o lançamento do Windows 7, em 2009.

“Estamos comparando as vendas de PCs contra um recorde muito alto”, disse o analista do NPD, Stephen Baker. “Sim, as vendas de notebooks para consumidores caíram, mas essa queda está ligada a isso (o recorde), não ao iPad. As comparações estão sendo feitas com o melhor período de vendas da história.”

ipad300x195.jpg

iPad: ele não está matando os desktops, pelo menos por enquanto...

No mês passado, outras empresas de pesquisa, incluindo IDC e Gartner, afirmaram que as vendas globais de PCs haviam caído 3,2% e 1,1%, respectivamente. A Gartner, inclusive, chegou a afirmar que as vendas de tablet – com o iPad respondendo pela sua maioria – eram uma das razões pelos números menores de comercialização de computadores.

Mas Baker não reforça essa teoria. De acordo com uma pesquisa feita pelo NPD junto a donos de iPad, apenas 12% deles comprou o tablet em vez de um computador tradicional no final do ano passado, uma queda em relação aos 14% que fizeram essa troca pelo tablet nos seus primeiros seis meses nas lojas (o gadget foi lançado em abril de 2010 nos EUA).

A maioria dos consumidores não viu a necessidade de comprar um desktop ou notebook porque já comprou entre os últimos 12 a 18 meses, disse o analista do NPD. “Essa é a razão pela qual a vendas do iPad não canibalizaram os PCs.”

Segundo ele, são os notebooks com preços acima de 500 dólares que foram atingidos pelo iPad. Entre outubro de 2010 e março de 2011, as vendas desses aparelhos caíram cerca de 25%.

“O grande desafio para os fabricantes de PCs com relação ao iPad é quanto ao segundo ou terceiro computador da casa”, afirma Baker. “Entre os próximos 6 e 18 meses, à medida que os consumidores pensem em substituir o restante de sua base instalada de PCs mais antigos, as pessoas vão começar a perguntar, ‘Qual o certo para mim, outro PC ou um tablet?’ Isso deveria preocupar todos na indústria de computadores.”

Se isso acontecer, a combinação de aparelhos em uma casa irá mudar radicalmente. “Costumava haver dois ou três desktops em uma casa, agora é apenas um desktop e uns dois notebooks”, diz Baker. “Mas no futuro pode ser apenas um notebook e vários tablets.”

A pesquisa da NPD também mostra que os consumidores preferem comprar os modelos do iPad apenas com Wi-Fi, mais baratos, do que as versões com 3G. Nas vendas de final de ano, por exemplo, o modelo mais básico do tablet, com 16 GB e Wi-Fi (US$ 499 nos EUA), foi responsável por três de cada quatro iPads vendidos no varejo.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail