Home > Notícias

iPhone 3G afeta ações de fabricantes de smartphones

Preço baixo e chegada do iPhone 3G a 70 países desvalorizam ações da HTC em quase 7% e afetam papéis de integradoras de rivais no setor.

IDG News Service/Taipé

10/06/2008 às 9h35

Foto:

O baixo preço do novo iPhone 3G afetou as ações da maior fabricante de smartphones com sistema Windows Mobile nesta terça-feira (10/06).

Os papéis da HTC caíram 6,9% e fecharam o dia em 25,24 dólares em Taiwan. As ações poderiam ter caído ainda mais, mas a bolsa de Taiwan mantém um limite diário máximo de queda e aumento para ações, e a HTC se aproximou deste limite perto das 10 horas da manhã.

Mais sobre o novo iPhone:
> Brasil: iPhone só no fim do ano
> SDK ganha recursos de localização
> iPhone já é sucesso no Brasil
> Samsung lança rival do iPhone
> Fotos: novos celulares 3G no País
> Conheça os rivais do iPhone

Uma nota do banco de investimentos Merrill Lynch afirmou que a habilidade da Apple em lançar o iPhone globalmente com um preço tão baixo (199 dólares) pressionará a HTC.

O analista Tony Tseng desvalorizou a classe das ações da HTC de "compre" para "neutro" e reduziu o preço alvo de 31 dólares para 28,04 dólares.

A página da Apple destaca o problema dos rivais - "duas vezes mais rápido, pela metade do preço". O novo iPhone 3G oferece transmissão de dados por HSPA e seu preço, 199 dólares por 8 GB ou 299 dólares por 16 GB, o torna mais barato que qualquer outro smartphone com a mesma configuração no setor.
++++
"Mais importante para usuários são os preços baixos, que significavam uma barreira na primeira versão (do gadget)", afirmou Stevem Hartley, analista sênior da consultoria Ovum.

Ações de outros fabricantes de smartphones também caíram na terça. A E-Ten information Systems viu seus papéis caírem 3,2%, amparadas pelo plano da Acer de comprar a companhia, enquanto as ações da Compal Communications, responsável pela fabricação de aparelhos da Motorola, caíram 4,1%.

Na Coréia do Sul, ações da Samsung Eletronics caíram 2,9% para 645,22 dólares, enquanto os papéis da LG Eletronics sofreram decréscimo de 2,2% para 126 dólares.

A reação dos mercados globais pode ser superestimada. Hartley aponta que a Apple, no setor, ainda é pequena em relação à Nokia, por exemplo.

A Apple afirma que vendeu, até agora, 6 milhões de iPhones, muito pouco comparado ao total de 1,14 bilhão de gadgets vendidos em todo o mundo em 2007.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail