Home > Notícias

Jaguar pode tirar o trono da IBM como computador mais rápido do mundo

Lista dos 500 computadores mais rápidos do mundo sairá na terça-feira (18/11). Roadrunner pode dar lugar ao equipamendo da Cray.

ComputerWorld/EUA

12/11/2008 às 15h40

Foto:

Quase cinco meses após o Roadrunner da IBM se tornar o computador mais rápido do mundo, a última atualização do XT Jaguar, da Cray, pode destroná-lo na semana que vem. O Departamento de Energia dos Estados Unidos anunciou esta semana que a última implementação de seu supercomputador XT Jaguar, que fica no Laboratório Nacional Oak Ridge, atingiu um pico de desempenho de 1,64 petaflops, ou mais de um quatrilhão de cálculos matemáticos por segundo.

Em junho, o Roadrunner da IBM atingiu uma velocidade sustentada de 1.026 petaflops e, algumas semanas depois, foi oficialmente coroado como o computador mais rápido do mundo pela lista semestral Top500 dos supercomputadores.

O Roadrunner foi a primeira máquina a atingir a barreira dos petaflops e observadores da indústria disseram que outras empresas, como a Cray, estavam também próximas desta marca.

Steve Scott, chefe de tecnologia da Cray, disse ao Computerworld (EUA) que o mundo descobrirá na próxima semana se o XT Jaguar, que roda um sistema operacional baseado em Linux, levou ou não o título de computador mais rápido do mundo, quando a próxima lista Top500 for revelada, na terça-feira (18/11).

Ele apontou que, enquanto a máquina da Cray pode ter ultrapassado os números da Roadrunner (de junho), a próxima máquina da IBM pode ter sido atualizada desde então.

O supercomputador da Cray tem atualmente 362 terabytes de memória e sistema de arquivo de 10 petabytes. Durante este tempo, os engenheiros incluíram 200 gabinetes, subindo para 284 em relação a versão anterior. Cada gabinete pode abrigar 192 chips AMD quad-core Opteron. No total, a máquina roda com 45 mil processadores quad-core que representam  até 180 mil chips.

"O Jaguar é uma dos maiores ferramentas de avanço na ciência e engenharia. Ele irá permitir que pesquisadores simulem processos físicos numa escala nunca vista antes. Computação avançada será o terceiro pilar das descobertas científicas, juntamente à teoria e experiência", declarou Raymond Orbach, subsecretário de Ciência do Departamento de Energia.

O Jaguar é dedicato à pesquisa aberta, ou seja, cientistas de universidades, empresas, governos e organizações sem fins lucrativos poderão usar seu poder computacional em seus projetos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail