Home > Notícias

Jolla anuncia o primeiro smartphone com sistema operacional Sailfish OS

Sistema é descendente do “Meego” usado no Nokia N9. Aparelho traz conceito inovador de tampas traseiras que podem mudar a aparência e recursos disponíveis.

Mikael Ricknäs, IDG News Service

20/05/2013 às 13h48

Foto:

A empresa finlandesa Jolla anunciou seu primeiro smartphone, cuja tela de 4.5” servirá como uma “vitrine” para o novo sistema operacional Sailfish OS. O aparelho traz um conceito único de tampas traseiras intercambiáveis e integradas ao software, possibilitando que novos recursos sejam adicionados ao mesmo tempo em que o visual do aparelho é modificado.

Com o anúncio a Jolla, que foi fundada por ex-funcionários da Nokia que desejavam continuar o desenvolvimento do sistema operacional Meego (usado no Nokia N9), está um passo mais perto de entrar no ultra-competitivo mercado de smartphones.

“As primeiras lembranças que tenho do projeto tomando forma são de meados de 2011. Eu estava de férias e houve uma teleconferência, da qual participei na praia, e as pessoas que se tornaram a Jolla, os fundadores e muitos dos primeiros colaboradores, participaram. Mas para mim o trabalho pesado começou mesmo em Janeiro de 2012”, disse Marc Dillon, que recentemente deixou o cargo de CEO da empresa para focar seus esforços no desenvolvimento de seu primeiro aparelho.

jolla_sailfish_geral-360px.jpg
Jolla: sistema "Saifish OS" é descendente do Meego usado no Nokia N9

O smartphone, que por enquanto é chamado apenas de Jolla, é baseado em um processador dual-core, tem uma câmera de 8 MP e é compatível com redes 4G (LTE). Também tem 16 GB de memória interna, que pode ser expandida com um cartão SD. 

O design faz com que o aparelho se pareça com duas metades coladas uma na outra, e os usuários podem mudar a cor da metade traseira com diferentes capas. Mas isso é mais que um detalhe de design: a tampa é integrada ao sistema operacional, o que também permite a adição de novos recursos ao aparelho, um conceito que a Jolla chama de “a outra metade”.

“Esta é uma das coisas mais poderosas que tempos... um exemplo muito simples seria ter duas tampas com cores diferentes”, disse Dillon. “No fim do dia você poderia colocar uma tampa vermelha, e na hora de ir trabalhar uma preta, e a interface se reconfigura automaticamente, porque tudo está conectado”.

A tampa também poderia ser usada para adicionar memória para conteúdo extra, usado por artistas para criar “edições limitadas” do aparelho, de acordo com Dillon.

O principal produto da empresa é o sistema operacional Sailfish, com o qual a Jolla espera atrair usuários de plataformas concorrentes. Para ajudar a aumentar o número de apps disponíveis, o sistema é capaz de rodar aplicativos Android.

jolla_sailfish_detalhe-360px.jpg
Design da tampa traseira faz com que aparelho se pareça com duas peças empilhadas

O coração da interface consiste em miniaturas dos aplicativos abertos, dispostas em uma tela inicial a partir da qual os usuários podem acessar diversos recursos, seja rolando a tela para os lados ou simplesmente clicando em uma miniatura para acessar o app correspondente.

"Temos multitarefa real funcionando com vários aplicativos. Você pode ter um vídeo rodando em uma miniatura, enquanto faz alguma outra coisa com o aparelho, disse Dillon.

O Jolla chegará às lojas no quarto trimestre deste ano e na Europa custará 399 Euros (US$ 510), incluindo impostos. O aparelho já pode ser encomendado em pré-venda no site da empresa.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail