Home > Notícias

Justiça rejeita pedido para bloqueio de venda de iPads na China

Vitória da Apple foi divulgada nesta quinta, 23/2, por tribunal de Xangai; disputa judicial com empresa Proview pela marca iPad pode render prejuízo de US$2 bi para "maçã"

IDG News Service / Pequim

23/02/2012 às 10h55

Foto:

Um pedido para um bloqueio legal que teria forçado a Apple a interromper as vendas do iPad em suas lojas em Xangai, na China, foi rejeitado por uma corte do país, dando uma pequena vitória a empresa de Cupertino em meio a batalha pela marca do seu tablet em território chinês.

Uma corte de Xangai afirmou em uma declaração oficial nesta quinta-feira, 23/2, que não aceitaria o pedido de proibição de vendas do iPad pela companhia chinesa Proview, que afirma ter adquirido a marca iPad em 2001 e está batalhando com a Apple nos tribunais pelo controle do nome. O tribunal afirmou que iria adiar audiências posteriores até que a decisão fosse tomada em outra corte chinesa, onde o controle da marca deve ser decidido.

Anteriormente, a Apple havia sofrido uma derrota em dezembro quando um tribunal em Shenzhen, na China, rejeitou as afirmações da companhia sobre a marca iPad. A empresa, no entanto, está apelando dessa decisão junto ao alto tribunal provincial de Guangdong, sendo que a audiência para o caso está agendada para a próxima semana.

Como a corte de Guangdong ainda precisa revisar o caso, o controle da marca iPad ainda está indefinido, afirmou o tribunal de Xangai.

A Proview, que está em processo de falência, entrou com ações legais junto a órgãos reguladores da China para interromper as vendas do iPad no país. Na sexta-feira, 17/2, um tribunal da cidade chinesa de Huizhou decidiu que a rede varejista de eletrônicos tinha de interromper as vendas do iPad em suas lojas por causa de violações da marca do tablet. Mas um advogado da Sundan afirmou que a empresa considera a opção de apelar dessa decisão.

O advogado da Proview, Ma Dongxiao, afirmou que a decisão da corte de Xangai não era a decisão final sobre o assunto. Mais de 30 escritórios reguladores do país estão investigando as vendas do iPad, segundo a Proview. Um representante da companhia afirmou na última sexta-feira que a empresa quer que a Apple pague 400 milhões de dólares para comprar a marca do tablet – a companhia chinesa também pensa em entrar com um processo judicial pedindo nada menos que 2 bilhões de dólares em indenizações pela disputa da marca iPad.

De acordo com a porta-voz da Apple, Carolyn Wu, a Proview se recusa a honrar um contrato feito com a “maçã” após a companhia comprar os direitos da marca iPad há muitos anos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail