Home > Notícias

Ken Olsen, pioneiro dos minicomputadores, morre aos 84 anos nos EUA

Cofundador da DEC, empreendedor começou seu negócio com 70 mil dólares em 1957. PDP-11 foi a mais popular de suas criações

IDG News Service

08/02/2011 às 9h52

Foto:

Kenneth Olsen, o pioneiro da indústria de computadores que
cofundou a fabricante de minicomputadores Digital Equipment Corporation (DEC), morreu
no sábado (5/2), aos 84 anos. Olsen será lembrado pelo papel fundamental que teve em pelo
menos uma revolução tecnológica: a migração dos mainframes para
minicomputadores.

Olsen frequentou a escola de eletrônica por um ano, enquanto
servia a Marinha dos Estados Unidos. Trabalhando como técnico de campo, sua
paixão por eletrônica e seu conhecimento cresceram. Durante seu tempo no Instituto de Tecnologia de
Massachusetts (MIT) após a Marinha, Olsen projetou o computador Whirlwind, o
primeiro computador de tempo real. Olsen permaneceu na equipe do Laboratório de
Computação Digital do MIT por sete anos.

Com um investimento de 70 mil dólares cedido pelo genaral
Georges F. Doriot, da American Research and Deveolpment Corp., Olsen cofundou a
Digital Equipment Corporation (DEC) com seu colega do MIT Harlan Anderson em
Maynard, Massachusetts, em 1957. A empresa começou a desenvolver o primeiro
computador interativo de pequeno porte e a produzir módulos de circuitos
lógicos, que eram usados para testar equipamentos eletrônicos.

Olsen atuou como presidente da empresa desde a fundação, em
1957, até sua aposentadoria em 1992. Em 1960, a DEC produziu o PDP-1. A DEC
decolou com o PDP-8, o primeiro minicomputador produzido em massa, que foi
fabricado entre 1965 e 1984. O PDP-11, produzido pela DEC em 1970, tornou-se o
minicomputador mais popular da história.

Olsen deixou a Digital em 1992, praticamente de forma
forçada numa época em que jovens executivos da era PC usurparam a autoridade da
geração que floresceu com o minicomputador.

Olsen era conhecido por ser um tanto rude em algumas
declarações. Numa época em que a TI corporativa se espalhava para além do
confinamento dos departamentos de CPD entre os anos de 1980 e 1990, ele poderia
ser bastante crítico em relação às pessoas que eram de fora da área de tecnologia.
“O mundo todo está ficando louco porque todo o software e todo o marketing são conduzidos
por pessoas que nunca comandaram uma empresa”, disse Olsen numa entrevista ao
IDG News Service em 1998, seis anos depois de ter deixado a Digital.

Ele defendia, contudo, uma abordagem equilibrada de gestão. “O
primeiro problema é tentar conseguir com que as pessoas se organizem (nos negócios)
com sabedoria, com bom senso”, disse na mesma entrevista.

Para compartilhar sua paixão por computadores com o público,
Olsen cofundou o Computer Museum, localizado inicialmente em Marlborough,
Massachusetts, em 1979. Mais tarde, o museu seria transferido para Boston. Em
1999 o museu fechou, mas boa parte de seu acervo é agora parte do Museu de
Ciência de Boston.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail