Home > Notícias

Leica atualiza sua família de câmeras digitais e lança a M9

Com 18 MP deresolução, é a primeira digital da categoria a vir com sensor full frame de 35 mm e custa a bagatela de 6.995 dólares.

Nando Rodrigues, da PC World

21/09/2009 às 17h11

Foto:

Essa é para poucos e, preferencialmente, sem restrições orçamentárias. A tradicional fabricante de câmeras fotográficas alemã, Leica, começou a vender em setembro o mais novo membro do seu enxuto portfólio de câmeras fotográficas.

A M9 é a primeira câmera digital da categoria a trazer um sensor full frame – ou seja, o sensor CCD (coração da câmera digital), da Kodak, é capaz de capturar imagens no formato 35 milímetros (quadros de 24mm por 36mm) em ultra-alta resolução, como nos filmes analógicos. As câmeras digitais tradicionais (compactas ou SLR) geram imagens ligeiramente menores.

Quem supõe que a M9 seja um exemplo de design futurista pode se espantar com o aspecto parrudo e até retrô que sempre marcou os equipamentos Leica. O corpo da M9 mede 13,9 cm de largura por 8 cm de altura por 3,7 cm de espessura e, apesar disso, não é um equipamento leve: pesa 589 gramas (com bateria) – a maior parte do corpo é fabricado em magnésio. A robustez e durabilidade das Leica também são uma espécie de marca registrada que atraem os fãs da boa fotografia.

O sensor tem resolução de 18 megapixels e gera imagens em formatos DNG (RAW) - 14-bit uncompressed (36 MB) / 8-bit compressed (18 MB); JPEG (Fine / Basic); e DNG + JPEG. A sensibilidade do sensor, além do modo automático, varia de Pull 80 até ISO 2500.

leica_m9_300.jpg

M9: só o corpo custa 6.995 dólares

Para quem está acostumado com os modelos SLR (Single Lens Reflex) que por meio de um conjunto de espelhos vê – por meio do visor ou LCD de 2,5 polegadas – exatamente a imagem que será capturada pelo sensor, pode achar que o método de visualização das Leica é um tanto quanto antiquado. Mas os visores de visão direta das Leica são equipados com um mecanismo para a correção automática de paralaxe

A câmera utiliza o sistema de montagem de lentes tipo baioneta e é compatível com uma infinidade de lentes da marca.

Para quem espera encontrar um sistema de foco automático esqueça. Todo o trabalho de focagem das câmeras da série M é feito manualmente por meio de um anel localizado nas lentes.

Um pequeno retângulo (chamado RF spot) acinzentado, localizado no centro do visor, apresenta uma imagem duplicada. Quando o foco está correto, a imagem duplicada desaparece (bem como o RF spot), mostrando uma imagem perfeitamente focada.

Para conhecer mais detalhes da M9, visite o site da Leica. E, caso decida-se tornar proprietário de uma dessas preciosidades, prepare o bolso: apenas o corpo, nos Estados Unidos, custa 6.995 dólares.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail