Home > Notícias

LG espera lançar smartphones com tela OLED flexível no final de 2013

Telas são mais resistentes e mais leves que as de vidro, e podem possibilitar novos designs para os aparelhos.

Ian Paul, PCWorld EUA

26/04/2013 às 14h06

Foto:

Depois de anos de promessas e incontáveis demonstrações de protótipos, 2013 pode ser finalmente o ano em que você conseguirá colocar um smartphone no bolso de trás da calça sem quebrá-lo. Ou, pelo menos, sem quebrar a tela.

Yoon Bu-hyun. Vice Presidente da divisão de mobilidade da LG, disse recentemente que a empresa planeja lançar um smartphone com uma tela OLED flexível no último trimestre de 2013, de acordo com o Wall Street Journal. A LG Eelctronics e a LG Display irão trabalhar juntas para desenvolver o aparelho, disse o executivo. A LG Display começou a produção em massa de telas flexíveis para e-Readers no início de 2012.

Leia também
Qual será o futuro das telas flexíveis?

Embora a promessa de um smartphone com uma tela que você pode dobrar como papel e colocar no bolso seja atraente, as primeiras telas flexíveis da LG deverão mais modestas. Um protótipo da rival Samsung, demonstrado durante a CES em Janeiro, é provavelmente mais próximo do que o primeiro smartphone com tela flexível da LG irá oferecer: o aparelho tinha uma tela que se curvava e cobria as laterais, onde exibia mensagens e notificações mesmo quando a parte da frente estava desligada.

Mais empresas interessadas em telas flexíveis

Além da LG e da Samsung, outras empresas tem planos para aparelhos com telas flexíveis. Durante o Mobile World Congress em Fevereiro a Atmel, uma empresa baseada em San Jose, nos EUA, estava demonstrando uma tecnologia de matriz sensível ao toque flexível que pode cobrir as laterais de um aparelho. Com isso, seria possível implementar sensores de toque, em vez de botões, para funções como o controle de volume.

A Atmel disse que está trabalhando com a ASUS para produzir um tablet usando sua tecnologia, mas que os primeiros modelos não irão estender a área sensível ao toque às laterais do dispositivo. A história da Atmel é típica dado o estado atual da tecnologia de telas flexíveis: há a promessa de um futuro muito legal para smartphones e tablets, mas ninguém sabe quando este futuro irá chegar.

Problemas?

O Wall Street Journal relata que o objetivo da LG de produzir smartphones com telas flexíveis em 2013 pode encontrar problemas já que p volume de produção desta tecnologia ainda é baixo. A Corning, que produz o popular Gorilla Glass e oferece um vidro flexível chamado Willow, diz que aparelhos usando sua tecnologia ainda levarão alguns anos para chegar já que as fábricas atuais não foram feitas para lidar com vidro entregue em rolos em vez de em painéis.

willowglass-360px.jpg
Willow Glass, da Corning

E há a questão de quanto valor as telas flexíveis podem adicionar aos smartphones no momento. Texto que “rola” pelos lados da tela pode ser uma idéia legal, mas é mais uma curiosidade do que algo realmente útil no dia-a-dia.

Ainda assim, há motivos práticos para a inclusão de telas flexíveis em um aparelho rígido. Telas flexíveis, especialmente aquelas feitas de polímeros, são mais duráveis do que vidro. E também tendem a ser mais leves, o que ajudará o aparelho a perder alguns gramas.

Talvez não seja possível dobrar seu smartphone e colocá-lo no bolso tão cedo. Mas um aparelho com uma tela mais durável com certeza seria algo bem-vindo.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail