Home > Notícias

Linha Smart TV 2013 da Samsung investe na conectividade com celulares

Função screen mirror permite o espelhamento da tela do smartphone no televisor sem a necessidade de uso do roteador e da rede internet, através do protocolo WiFi Direct

Da Redação

02/07/2013 às 14h18

Foto:

Imagine ver tudo o que
aparece na tela do seu celular também na tela do televisor, sem a necessidade
de APPs ou do uso de roteador e rede wireless. Esta possibilidade foi
materializada pela Samsung no novo recurso screen mirror, um dos diferenciais
da linha 2013 de smart tvs da fabricante. 

“Percebemos que o
consumidor está em busca de modelos que vão além de um simples televisor,
funcionando como uma solução integrada que facilite seu dia a dia, ou seja, uma
verdadeira central de entretenimento com opções de conteúdo relevantes às suas
necessidades”, comenta Silvio Stagni, vice-presidente de Produto e Vendas para
as áreas de TV, Áudio e Vídeo e Digital Imaging da Samsung no Brasil.

Isso se traduz na oferta de
recursos inovadores em termos de interatividade e conectividade, como o sistema
de interação inteligente (smart interaction), que permite comandar a Smart TV
através da voz e do movimento (multigestos), e da plataforma de oferta de
conteúdos Smart Hub 2013, com opções de organização e personalização dos
conteúdos consumidor na TV.

Os modelos de smart tv da
Samsung entendem mais de 254 comandos de voz em português - quatro vezes mais
que o da linha 2012. Outra novidade é que as smart TVs estão ajustadas para
entender diferentes sotaques e regionalismos, um recurso totalmente
personalizado para o consumidor brasileiro.

Os comandos por gestos
também foram ampliados e é possível realizá-los com o uso das duas mãos. Agora,
o usuário também pode “curtir” um conteúdo no Facebook apenas levantando o
polegar, ou visualizar e dar zoom em fotos com poucos gestos.

Screen mirror
Mas entre todas as novidades a que deverá chamar mais a atenção do consumidor
brasileiro é de espelhamento do conteúdo do celular na tela da TV. Um recurso
muito útil para empresas, escolas e até mesmo uso doméstico. O que aparecer na
tela do celular, com imagem e som  inclusive, será reproduzido na
TV.  A comunicação é unidirecional, do celular para a TV. O inverso não
funciona. Para receber conteúdos da TV no celular continua sendo obrigatório o
uso dos APPs de segunda tela e da rede WiFi interna.

O melhor é que não é uma
função que funcione só com celulares fabricados pela Samsung. Aparelhos de
outros fabricantes, inclusive iPad e iPhones, também podem usar o recurso.
Basta que tenham suporte WiFi Direct, embora o recurso não use a função WiFi
Direct, apenas o mesmo protocolo.

A primeira versão de
conectividade do celular para as smart TVs, introduzida nos modelos 2012,
permitia enviar apenas foto, filme ou música. O espelhamento não era possível.
Mas donos de modelos 2012 poderão fazer o upgrade para suportar todas as novas
funcionalidades através da compra do Evolution Kit, por R$ 1 mil.

O Evolution kit é uma
pequena “caixa” inserida na parte de trás da Smart TV que faz com que os
usuários, em poucos minutos, possam aproveitar as mais recentes features
da linha 2013, para televisores das séries 7, 8 e 9 mil comercializadas em
2012. Estará disponível no mercado a partir do segundo semestre, e dá acesso à
Função Futebol, ao novo Smart Hub e a atualização do processador de Dual-Core
para Quad-Core.

Mercado
O portfólio de Smart TVs da Samsung conta com modelos de LED e Plasma com
tamanhos que variam de 32 a 75 polegadas, e com isso a companhia reafirma seu
objetivo de atender aos mais diversos públicos, sempre trazendo aparelhos
inovadores, sofisticados e com tecnologia de ponta ao usuário da marca. Ainda de
acordo com o executivo, a venda de Smart TVs, ou seja, aquelas que se conectam
a internet, deve crescer 30% e a venda de TVs com telas grandes, acima de 46
polegadas, deve crescer 46%.

A expectativa da Samsung para este ano é de que
o mercado permaneça igual ao de 2012 em volume _ que girou em torno de 10
milhões de unidades, considerando as vendas de todos os fabricantes _ e cresça
10% em valor, de acordo com Silvio Stagni. Segundo ele, em 2012 existiu uma
grande participação de telas LCD e em 2013 80% das vendas serão de TVs de LED.
"O mercado LCD acabou, praticamente", afirmou o executivo. Como as
TVs de LED custam um pouco mais, a receita dos fabricantes deve crescer 10%
este ano e 15% no ano que vem, aquecido principalmente no primeiro semestre em
função das vendas pré Copa do Mundo.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail