Home > Notícias

LinkedIn lança versão em português e faz convite a desenvolvedores brasileiros

Com um milhão de usuários do País, rede sugere que desenvolvedores criem diferenciais a partir de sua plataforma

Clayton Melo, do IDG Now!

13/04/2010 às 16h01

Foto:

A rede social para profissionais LinkedIn lança nesta terça-feira (13/4) sua versão no idioma português. A informação foi passada há alguns minutos ao IDG Now! por Arvind Rajan, vice-presidente de operações internacionais do LinkedIn. Por enquanto, o site não terá equipe e sede locais.

A ideia da empresa é primeiro sentir a reação do mercado nacional com a versão na língua portuguesa para então pensar em montar um escritório ou desenvolver estratégias mais agressivas na área comercial. O capítulo brasileiro será comandado pelo próprio Rajan, responsável por todas as operações da empresa fora dos EUA e Europa.

"Tínhamos até agora o serviço em quatro línguas: inglês, espanhol, francês e alemão. Com o quinto o idioma, o português, queremos facilitar ainda mais a conexão entre os profissionais. O usuário brasileiro pedia essa versão", afirma Rajan.

A ampliação do serviço para mais idiomas faz parte da estratégia de expansão internacional do site, que opera nos EUA (onde foi criado), Inglaterra, Austrália, Índia e Holanda.

No caso brasileiro, segundo Rajan, o que encorajou a empresa a fazer a versão para o idioma local foi a acolhida espontânea à rede. "Nunca fizemos um plano para cá, mas os usuários brasileiros começaram a ingressar no site. O crescimento que obtivemos até agora aqui foi orgânico", diz.  

Desenvolvedores brasileiros

A versão em português não terá serviços diferentes daqueles que são oferecidos no site internacional. Como o LinkedIn trabalha com plataforma aberta, Rajan espera que os desenvolvedores brasileiros criem soluções para o País. "Os desenvolvedores podem usar nossa plataforma. Assim, esperamos que os brasileiros façam inovações no serviço", afirma. 

O LinkedIn conta hoje com 65 milhões de usuários, número cinco milhões superior ao divulgado pela empresa em fevereiro. Para dar uma ideia do ritmo de crescimento,  em dezembro de 2009 o site tinha 55 milhões de usuários, o que representa a conquista de cerca de cinco milhões de novos usuários a cada dois meses. 

Entre as principais fontes de receita do LinkedIn estão soluções relacionadas à contratação de profissionais (serviços vendidos a empresas em busca de funcionários), publicidade e assinatura - o site oferece conta gratuita, básica, e assinaturas pagas, que vão de 25 dólares e 500 dólares por mês. 

 

 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail