Home > Notícias

Manifestantes usam redes sociais para protestar contra o G20

ONGs postam mensagens no Twitter e usam Facebook para reunir manifestantes e protestar contra cúpula que acontece em Londres.

Redação do IDG Now!

02/04/2009 às 10h20

Foto:

As redes sociais estão sendo inundadas por mensagens contra o capitalismo e a favor de medidas para reduzir o aquecimento global nesta quinta-feira (02/04). Os manifestantes estão se aproveitando do interesse despertado pela a cúpula do G20 (o grupo dos países mais ricos do mundo mais as nações em desenvolvimento mais relevantes), que acontece em Londres, para chamar atenção para as suas causas.

Centenas de vídeos e outras centenas de fotografias da manifestação “Put People First” (Ponha as Pessoas em Primeiro Lugar, em tradução livre), realizadas no sábado passado, em Londres, foram publicadas em sites como o YouTube e o Flickr, informou o site do jornal econômico “Financial Times”.

Para Mel Evans, participante da Climate Camp, uma organização não governamental (ONG) que defende a preservação do ambiente, “isso quer dizer que a informação viaja rápido e torna possível organizar eventos entre pessoas que nunca se viram”.

A ONG realizou um flashmob, evento coordenado por mensagens de texto em que centenas ou milhares de pessoas se reúnem rapidamente em áreas públicas, evitando que as autoridades impeçam a manifestação. Além da manifestação, a Climate Camp está enviando mensagens de protesto pelo Twitter, com as tags #g20 e #g20rally.

Já o grupo G20 Meltdown está presente no Twitter - com cerca de 500 seguidores - e tem aproveitado o microblog para postar links para outros grupos de protesto e vídeos do YouTube. O grupo também está no Facebook e conta com 3.240 integrantes. Em seu site, o G20 Meltdown oferece material de protesto – como uma nota de 20 libras falsa - para que os manifestantes imprimam e levem aos protestos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail