Home > Notícias

Medalhas das Olimpíadas de Tóquio serão fabricadas com lixo eletrônico

Medida faz parte do comitê organizador do evento, que busca soluções mais sustentáveis na produção dos objetos. Competição será realizada em 2020

Da Redação

08/02/2019 às 12h35

Foto: Shutterstock

O comitê organizador das Olimpíadas e Paraolimpíadas anunciou nesta sexta-feria (8) que os Jogos de Tóquio em 2020 serão os primeiros da história da competição a utilizar eletrônicos descartáveis na fabricação das medalhas. A medida faz parte da união de várias empresas, que querem tornar o evento mais sustentável.

De acordo com a entidade, até novembro do ano passado, mais de 47 mil toneladas de lixo eletrônico já havia sido coletada. Desse total, o comitê constatou que foram enviados mais de cinco milhões de celulares, todos entregues em lojas da NTT Docomo e postos públicos para o descarte. Inclusive, a organização do evento afirma que a coleta só foi possível graças à colaboração dos usuários.

A partir desses materiais, a expectativa é extrair ouro, prata e bronze que devem ser empregadas na fabricação das medalhas. A meta completa está perto de ser alcançada; a quantidade de bronze, por exemplo, foi concluída em junho de 2018, quando foram recolhidos 2.700 kg do material. Ouro e prata tiveram 30.3 kg (93.7% do objetivo) e 4.100 kg (85.4%) de extrações em outubro, respectivamente.

O programa de coleta vai até dia 31 de março, quando o comitê espera finalizar a meta. Mesmo que não sejam alcançados 100% em todos os componentes, a organização destaca que haverá material suficiente para a produção dasa medalhas. Estas, por sua vez, devem ter o design revelado entre junho e setembro.

Com informações: Engadget

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail