Home > Notícias

Menos PCs devem ser vendidos em 2009, segundo projeções da IDC

Volume de negócios deve sofrer retração de 5,3% em um ano, prevê consultoria. Ofertas de notebooks baratos pressionarão fabricantes.

Redação do Computerworld

03/12/2008 às 14h41

Foto:

O mercado mundial de PCs deverá crescer 3,8% em 2009 em número de unidades e com uma queda de 5,3% no volume de negócios, informa a consultoria IDC, creditando a desaceleração na demanda por desktops e notebooks à crise econômica.

A projeção é consideravelmente menor do que a expectativa anunciada no segundo trimestre deste ano, quando a IDC esperava um crescimento de 13,7% no total de PCs e de 4,5% nos valores movimentados.

As previsões da consultoria para todo o ano de 2008 e para 2010 foram reduzidas também para 12,4% e 10,9%, respectivamente, com crescimento acima de 12% para 2011 e 2012.

> Intel vê Brasil como terceiro maior mercado de PCs em 2009

De acordo com Loren Loverde, diretor da pesquisa mundial da IDC sobre o
mercado de PCs, os notebooks de baixo preço ajudarão a manter o volume
de unidades vendidas, mas pressionarão as margens e as receitas. Para
ele, consumidores e empresas serão mais conservadores em suas compras
nos próximos 12 a 24 meses. E, apesar de baixos preços permanecerem
essenciais, não serão mais um fator que impulsionará as vendas, como
acontecia nos últimos anos.

Alerta para mercados emergentes
Mercados emergentes na América Latina, Europa Central, Oriente Médio e África estão entre os que serão mais afetados no curto prazo. A queda nos preços das commodities, o aumento do dólar e as restrições de crédito afetaram dramaticamente no financiamento para consumidores e canais de distribuição, de acordo com comunicado da IDC.

Essas regiões estão entre as que experimentaram crescimento mais acelerado nos últimos anos e a queda de preços ajudou novos usuários a comprar computadores. Agora, a expectativa é que a América Latina e a Europa Central/Oriental sofram queda no volume de PCs durante o primeiro trimestre de 2009. Na África e no Oriente Médio, as vendas continuarão a crescer, mas de forma mais lenta do que o registrado nos últimos anos.

Países mais maduros também devem sentir o mesmo efeito. A questão do crédito terá um significativo impacto nos gastos nessas regiões, mas uma porção maior do mercado será capaz de lidar com esse problema.

A IDC reduziu entre 4% e 9% a expectativa de aumento nas vendas em unidades nessas nações. Nos Estados Unidos, a diminuição estimada é de cerca de 3% em 2009 e nos anos subseqüentes o crescimento será de dois dígitos. Japão e Canadá deverão experimentar o mesmo cenário, já o mercado da Europa Ocidental deve manter o ritmo de expansão de 6% - abaixo dos mais de 20% registrados em 2008 -, graças às vendas de netbooks.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail