Home > Notícias

Mercado Livre aposta em link patrocinado para elevar receita publicitária

Ferramenta MercadoAds deve atrair mais anunciantes externos ao site e elevar receita com área de publicidade do site de 5% para 10%.

Daniela Braun, do IDG Now!

13/01/2010 às 16h18

Foto:

Desenvolvido com uma ferramenta própria, o MercadoAds entrou em operação no final de 2009 e servirá como uma oferta complementar que deve atrair mais anunciantes externos ao site, observa Stelleo Tolda, Chief Operating Officer do MercadoLivre.com na América Latina.  "Em um primeiro momento oferecemos a ferramenta aos grandes vendedores [do site de leilões] e agora estamos iniciando as atividades de vender o formato ao mercado entrando em contato com grandes agências", explica Tolda.

Com a nova ferramenta, a receita da empresa com publicidade deve dobrar dos atuais 5% para 10%, nos próximos anos. No entanto, segundo Tolda, é mais uma forma de "expandir o escopo de tráfego interno" e "democratizar as vendas no comércio eletrônico". Hoje, as principais fontes de receita da empresa provém de negociações ('marketplace'), pagamentos eletrônicos, classificados e, em quarto lugar, da publicidade.

PayPal e mobilidade
O executivo compartilha da mesma visão do CEO do eBay, John Donahoe, de que o negócio de pagamentos eletrônicos na internet tem mais potencial para superar o próprio marketplace de oferta e procura. A comprovação é que o eBay, um dos acionistas minoritários do MercadoLivre.com, também vai sua popular plataforma PayPal, ao Brasil.

Tolda prefere não comentar a chegada do rival, que também fará frente ao UOLPago, no Brasil, mas afirma que o uso do MercadoPago nas transações do site cresceu de 15% em 2007 para um terço das negociações no ano passado.

Tendo em vista que os smartphones se mantém na liderança do ranking de produtos mais vendidos pelo site de leilões desde 2008, criar aplicativos móveis é uma das metas do MercadoLivre 2010. A presença de forma ativa em plataformas móveis, "não passa deste ano", afirma o executivo. A dificuldade, agora, é escolher uma ou duas plataformas para desenvolver os widgets do site. iPhone e Android são fortes candidatos, sinaliza Tolda.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail