Home > Notícias

Mesmo com falhas, Android pode não precisar de antivírus

Fabricante de software de segurança já oferece antivírus para o G1 por 10 dólares. Especialistas dizem que ainda não é necessário.

IDG News Service/EUA

07/11/2008 às 11h09

Foto:

A desenvolvedora de antivírus SMobile lançou, na semana passada, um software para proteger usuários do celular G1 Android, embora um analista de segurança questione a real necessidade desta ferramenta.

Embora o software desenvolvido pelo Google - que só roda, por enquanto, no celular vendido pela T-Mobile - seja open source, é improvável que esteja mais suscetível a malwares que outros celulares com sistemas operacionais, de acordo com Charlie Miller, analista do Independent Security Evaluators e pesquisador que descobriu a primeira vulnerabilidade do Android.

Enquanto um cracker poderia escrever uma aplicação nociva e distribuir via Android Market, o Google tem usado alguns bloqueios que poderiam tornar difícil para o malware causar muitos danos, disse Miller. "Se você quer fazer algo perigoso como acessar contatos pessoais, tem de dizer especificamente para a máquina virtual 'estas são as coisas que eu vou querer fazer' e a máquina perguntará ao usuário se está tudo bem", disse ele. Os aplicativos do Android rodam em uma máquina virtual Java no telefone.

Por exemplo, se um usuário baixar um game Scrabble contendo códigos maliciosos que tentam coletar informações da conta de e-mail do usuário, o telefone pedirá ao usuário que aprove o acesso à conta de e-mail. Nesse caso, se o usuário negar o download, percebe que o game Scrabble não precisaria acessar o e-mail, explicou.

No entanto, já foram descobertas duas vulnerabilidades no sistema do G1. Nesta semana, crackers descobriram uma maneira de instalar aplicativos sem usar o Java. O Google disse que desenvolveu uma correção para o bug e vai distribuí-la em breve.

A primeira falha, descoberta por Miller, resultou numa correção do Google sobre o bug que tornava usuários vulneráveis a ataques pelo browser, que foi reparado junto a outras pequenas falhas no celular G1.

Tais vulnerabilidades não são exclusivas do software do Android. "O fato é que elas poderiam ser usadas no iPhone, no BlackBerry ou qualquer outro. Todos esses telefones têm problemas", disse Miller.

Enquanto as principais empresas de software de segurança ainda não estão muito preocupadas com ameaças no celular, a SMobile já oferece antivírus para algumas plataformas, como a do Nokia S60, além do VirusGuard para Android, que pode detectar mais de 400 tipos de malwares para celulares e custa apenas 10 dólares.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail