Home > Notícias

Microsoft investiga fábrica que emprega jovens em condições precárias

Os empregados da chinesa KYE realizam jornadas semanais de trabalho de até 80 horas e recebem cerca de 50 centavos de dólar por hora.

Redação do IDG Now!

15/04/2010 às 11h59

Foto:

A Microsoft começou uma investigação de suas práticas de trabalho em uma fábrica chinesa depois de uma denúncia de que a companhia empregava um número considerável de adolescentes em condições precárias e baixa remuneração, informa o site CNET.

O inquérito segue uma denúncia feita pelo Comitê Nacional de Trabalho (NLC, em inglês) de Pitsburgo,  no Estado norte-americano da Pensilvânia. O NCL teria descoberto que a KYE, fabricante chinesa de mouses e outros produtos, força adolescentes a trabalhar até 80 horas por semana e paga apenas cerca de 50 centavos de dólar por hora.

“Trabalhamos como prisioneiros”, conta um trabalhador ao NLC, segundo o relatório. “Parece que vivemos apenas para trabalhar. Não trabalhamos para viver. Não temos uma vida, apenas um trabalho”.

A documentação oficial cita uma série de situações desumanas. Um exemplo: os funcionários são obrigados a fabricar dois mil mouses durante um turno de 12 horas e são proibidos de usar o banheiro ou se levantar para beber água em qualquer momento fora do intervalo de dez minutos, que também não é remunerado. 

kye.jpg

Foto: NLC

A Microsoft declarou ter conhecimento da denúncia do NLC e que já iniciou uma investigação, segundo a CNET. A empresa também afirmou que trata essas alegações com seriedade e tomará as medidas corretivas adequadas em relação a constatações de má conduta do fornecedor.

A companhia disse estar comprometida com o tratamento justo e a segurança de trabalhadores empregados pelas fabricantes, e afirmou que trabalha para garantir que todos os funcionários estejam de acordo com o seu código de conduta. A Microsoft se recusou a dizer por quanto tempo tem usado a KYE como fornecedora e não fez nenhum comentário além da sua declaração.

Entre as disposições do código de conduta da Microsoft, há uma que diz que os contratantes “não podem empregar nenhuma pessoa com menos de 15 anos, abaixo da idade de conclusão da escolaridade obrigatória ou sob a idade mínima legal para trabalhar”, diz o código. “A Microsoft só apoia o desenvolvimento de programas de trabalho de aprendizagem legítimos para o benefício educacional de jovens e não faz negócios com elementos que abusam desses sistemas. Trabalhadores com menos de 18 anos não podem realizar trabalhos perigosos e podem ser restritos à turnos noturnos, com consideração às necessidades educacionais.”

A Microsoft não é a única contratadora da KYE para produção de bens, mas o relatório diz que os trabalhadores estimam que a empresa represente 30% dos negócios da fabricante. A KYE também produz hardware para companhias como HP, Best Buy, Samsnug e Acer, segundo o NLC.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail