Home > Notícias

Microsoft não esclarece se Skype pode ou não interceptar chamadas

Gigante diz que tenta ajudar com escutas legais tanto quanto pode, mas não releva exatamente o que isso significa

Tim Greene, Network World / EUA

24/07/2012 às 16h15

Foto:

A Microsoft pode ou não ter a capacidade de escutar ligações feitas via Skype, mas a empresa simplesmente não vai falar nada sobre o assunto, e não está claro o porquê. Ao ser perguntada se pode interceptar chamadas criptografadas feitas pelo serviço de voz e vídeo peer-to-peer, a empresa diz que tenta ajudar com escutas legais tanto quanto pode, mas não vai dizer o que isso significa exatamente.

"O Skype coopera com as agências de aplicação de leis tanto quanto é jurídica e tecnicamente possível", disse um porta-voz da empresa por e-mail. É uma afirmação que responde à questão sobre se a empresa realmente tem a capacidade de explorar as chamadas, capacidade essa que autoridades podem solicitar segundo termos da U.S. Communications Assistance for Law Enforcement Act (CALEA) - lei americana que exige que operadoras de telecomunicações e
fabricantes de equipamentos projetem seus serviços de modo que seja
possível realizar o monitoramento eletrônico por agências federais.

Perguntado por que a empresa não vai dar uma resposta simples, o porta-voz responde: "Essa é a posição da empresa. Você tem nossas declarações. Isso é tudo que posso dizer."

Suspeitas de que o Skype poderia ter meios para espionar as chamadas surgiram quando a Microsoft emitiu uma patente, no início deste ano, sobre interceptação legal, a qual se "referem a silenciosamente gravar comunicações." Isto é feito por meio de modificação nas solicitações de chamadas, de modo que as configurações de comunicações incluam um mecanismo de gravação.

Além da questão de uma tecnologia de espionagem, a eficácia da segurança do Skype também está sendo questionada. Antes de a Microsoft comprá-lo no ano passado por 8,5 bilhões de dólares, o Skype foi conhecido por ter sua política de segurança não muito clara. A empresa não revelaria nada sobre a criptografia que utiliza, e governos exigiram que o Skype tornasse possível para eles escutar as chamadas criptografadas - que é a situação atual.

Um relatório do ano passado diz que o governo egípcio tinha a capacidade de escutar as chamadas do Skype feitas por dissidentes durante a revolta ocorrida em 2010. Não está claro se o governo quebrou a segurança do Skype ou se instalou um malware em computadores da companhia para capturar chamadas enquanto eram reproduzidas sem criptografia em alto-falantes ou por microfones.

Como conseqüência, a Electronic Frontier Foundation (EFF) aconselha evitar o uso do Skype, levando em consideração que a segurança é essencial e conteúdo deveria permanecer privado. "Neste ponto somos altamente contra a utilização do Skype", disse o diretor de projetos técnico na EFF, Peter Eckersley.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail