Home > Notícias

Microsoft procura reverter na Justiça processo que envolve o Vista

Fabricante entra com petição para reverter processo que alega que campanha ´Windows Vista Capable´ induz cliente a enganos.

Por Computerworld/EUA

10/03/2008 às 12h01

Foto:

A Microsoft pediu nesta sexta-feira (07/03) que uma ação alegando que a empresa enganou consumidores em sua campanha de marketing "Windows Vista Capable" seja suspensa enquanto a companhia apela à decisão da Justiça de transformar a ação em processo.

Caso seja atendida, a ação também impediria a revelação de novos e-mails corporativos potencialmente corporativos para a empresa. No final de fevereiro, a divulgação de documentos similares mostrou que executivos da empresa tiveram problemas internos com a campanha e que parceiros, como a Dell, avisaram que a Microsoft teria problemas com consumidores confusos.

A Microsoft entrou com uma petição na Nona Corte de Apelações para tentar retornar o status do processo para ação, que será iniciado em duas semanas pela juíza Marsha Pechman.

Leia mais sobre Windows Vista
>Vista sofrerá concorrência do "Windows 7"
>O que há de errado com o Windows Vista?
>Especial: saiba tudo sobre o sistema
>Conheça a história do Windows
>Vista versus XP: compare

A petição alega que a Microsoft já produziu mais de 50 mil páginas de documentos internos como parte do processo de descobrimento da ação.

Sua continuação significaria que mais destes arquivos teriam que ser revelados. Caso seja aprovado como ação, o dinheiro gasto descobrindo e-mails e documentos seria perdido e publicidade negativa seria gerada sem razão, argumenta a Microsoft.

"Descobertas dos acusantes provavelmente envolverão dados de decisões sensíveis sobre preços para integrados e canais de venda, que poderão refazer suas estratégias de preços", afirma a petição. "A continuação do processo piorará as relações da Microsoft com seus parceiros de negócios".

A Microsoft afirmou que espera ter uma decisão em 90 dias.

Toda a preocupação da Microsoft diz respeito a um processo iniciado há quase um ano alegando que a companhia enganou clientes pelos meses anteriores ao lançamento do Windows Vista.

Muitas das máquinas que carregavam o selo "Windows Vista Capable", teoricamente capazes de rodar qualquer versão do sistema operacional, conseguiam lidar apenas com o Windows Vista Home Basic, versão básica do software, algo que os acusadores afirmam que a Microsoft omitiu.

A Microsoft desconsiderou as acusações, afirmando que o Vista Home Basic é "um grande avanço" sobre o Windows XP e parte dos seus esforços é oferecer múltiplas versões do novo sistema operacional.

A situação piorou quando e-mails internos da Microsoft provaram que o programa de marketing também foi alvo de dúvida por executivos da própria empresa.

Em um primeiro momento, a Microsoft havia restringido o selo apenas para máquina que conseguiriam lidar com as altas exigências gráficas do Windows Vista Ultimate, afirmam as mensagens.

Com medo de prejudicar as vendas do Windows Vista, a Microsoft muda o programa no começo de 2006, trocando o texto "Windows Vista Ready" por "Windows Vista Capable", ação que enfrenta o ceticismo tanto de executivos internos como de parceiros como a Dell.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail