Home > Notícias

Microsoft quer expandir influência sobre os fabricantes de PCs

Com o Windows 8, empresa quer se envolver mais no processo de design do hardware

James Niccolai, IDG News Service

02/06/2011 às 15h17

Foto:

SAN FRANCISCO (06/02/2011) - Enquanto trabalha para lançar o Windows 8, com uma interface totalmente reformulada e voltada ao toque, a Microsoft está tentando ampliar sua influência sobre os fabricantes de PCs para se certificar de que eles montem máquinas capazes de rodar seu novo software em sua melhor forma.

“Para que o Windows 8 seja o melhor que já fizemos, estamos adotando uma nova abordagem na forma como trabalhamos com os parceiros em nosso ecossistema”, disse Michael Angiulo, vice-presidente encarregado de planejamento, hardware e ecosistema Windows na Microsoft, enquanto demonstrava o software a parceiros da empresa em Taipei na quinta-feira.

Leia também
»
Microsoft apresenta o Windows 8
» Windows 8 não irá exigir um novo PC, diz a Microsoft

A Microsoft quer influenciar os fabricantes quanto a detalhes como a proporção usada nas telas, onde os botões e antenas estão localizados e até mesmo a largura da borda ao redor da tela.

“Desde o primeiro dia começamos a projetar estes sistemas com um grau de integração entre o hardware e o software maior do que nunca, e esta integração começa com a produção do hardware e continua até a configuração final do sistema”, disse Angiulo.

Mostrado pela primeira vez nesta semana, o Windows 8 tem uma interface otimizada para o toque que é muito diferente das versões anteriores do sistema operacional, mas que a Microsoft garante que também funciona bem em PCs com teclado e mouse.

Desenvolvedores terão a opção de escrever aplicativos Windows nativos usando HTML5, JavaScript e CSS, ou usando a linguagem C com a qual já estão acostumados. Os aplicativos HTML5 aparecem como quadrados (Tiles) coloridos na tela inicial, como na interface do Windows Phone 7.

Angiulo mostrou o Windows 8 rodando em um PC com um monitor widescreen, com proporção de 16:9 e resolução de 1366 x 768 pixels. “Achamos que estas dimensões são a melhor forma de experimentar o Windows 8”, disse ele aos executivos de fabricantes de hardware na platéia.

A Microsoft também tem suas próprias opiniões sobre “onde colocar os botões e antenas para conseguir o melhor desempenho”, disse ele.

A borda da tela se torna mais importante com interfaces sensíveis ao toque, e a Microsoft também tem “recomendações sobre o tamanho da borda, para que o usuário possa segurar a máquina facilmente sem ativar algum controle por acidente, e ainda assim alcançar todas as teclas e digitar com os dedões”, disse Angiulo.

“Estamos trabalhando já com os fabricantes de telas e sensores de toque, e teremos mais orientações e recomendações sobre como cosntruir uma máquina Windows 8 realmente boa nos próximos meses”, disse ele.

Maior envolvimento no design do hardware pode ajudar a Microsoft a otimizar a aparência e usabilidade dos sistemas com Windows 8. É um problema com o qual a rival Apple não tem com o que se preocupar, já que controla todos os aspectos do design e produção dos Macintosh, iPhones, iPods e iPads.

Ainda não está claro como os fabricantes de PCs irão responder aos esforços da Microsoft para expandir sua influência sobre seus produtos. E estes esforços podem se estender além do projeto do hardware, de acordo com um relato publicado pelo Wall Street Journal na quarta-feira (01/06).

Citando fontes não identifiadas, o Journal relatou que a Microsoft está exigindo que cada fabricante de microprocessadores estabeleça uma parceria com um fabricante de PCs, para ajudar a colocar rapidamente novos tablets com Windows no mercado.

Steve Guggenheimer, chefe da divisão OEM da Microsoft, preferiu não comentar quando perguntado sobre o rumor pouco antes do evento de demonstração do Windows 8. Executivos da Texas Instruments e Qualcomm, que produzirão chips capazes de rodar o sistema, também preferiram não comentar.

A Microsoft também introduzirá no Windows 8 um novo sistema de ativação de produto, chamado OEM Activation 3.0, disse Angiulo. “Esta é uma tecnologia de chave de produto digital que irá simplificar a configuração e o processo de desenvolvimento e produção de PCs”, disse ele. “Para os usuários finais, significa um processo de ativação transparente, e para os parceiros significa uma simplificação de sua cadeia de produção”.

Ele não forneceu mais detalhes. Chaves de ativação são a forma que a Microsoft encontrou para se certificar de que as pessoas estão usando software genuíno e licenciado, como parte de seus esforços para combater a pirataria.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail