Home > Notícias

Microsoft quer patentear modelo de PC pré-pago nos Estados Unidos

Empresa propõe criação de sistema de cobrança mensal de usuários de PCs de acordo com o consumo de software e de hardware.

Redação do Computerworld / EUA

30/12/2008 às 12h29

Foto:

A Microsoft entrou com um pedido de registro de patente para o modelo pré-pago de desktops, nos Estados Unidos, reforçando sua idéia de implantar um modelo de venda de PCs no qual o usuário paga mensalmente pelo uso do software e da máquina.

De acordo com o documento apresentado na última semana ao Departamento de Marcas e Patentes dos Estados Unidos, o modelo chamado oficialmente de "Metered Pay-As-You-Go Computing Experience" deve medir o uso do software e o acesso a uma configuração específica de hardware com pagamentos mensais.
 
"O atual modelo de negócios de computação em hardware e software se baseia na aquisição de um computador com hardware e software que se adéquam à maior parte das aplicações que o usuário espera encontrar", diz a Microsoft no documento. "No entanto, um usuário pode comprar um chip de múltiplos núcleos com um montante significativo de memória e uma estrutura de vídeo avançada para aplicações de jogos que são usadas apenas aos fins de semana, enquanto suas atividades do dia-a-dia envolvem pouco mais do que um processador de texto e um browser."

O plano da Microsoft envolve o monitoramento da máquina do cliente para identificar uso de espaço de armazenamento em disco, núcleos de processamento e memória para então cobrar o usuário pelo consumo destes componentes em um determinado período.

"Um computador pode ter componentes de hardware e software medidos individualmente, que o usuário pode selecionar e ativar de acordo com suas necessidades no momento. Quando a necessidade é navegar, um nível mais baixo de performance deve ser usado e quando for jogar um game interagindo em rede, uma maior capacidade de performance deve estar disponível."

A chave para o novo conceito é o que a Microsoft chama de "módulo de segurança" embutido tanto no hardware como em forma de software, que é capaz de medir o uso do computador. "Para tornar este modelo bem-sucedido, um mecanismo deve existir para suportar um método altamente seguro de ajuste de performance com um sistema de medição que possa ser auditado e um esquema de pagamento que permita uma variedade de mecanismos pré e pós-pagos..." explica o documento da patente.

O "módulo de segurança" também seria capaz de bloquear o PC para um fornecedor específico, como um provedor de acesso à internet, da mesma forma como os celulares são bloqueados para uso por determinadas operadoras.

Os preços podem variar em uma taxa por hora, de acordo com os pacotes de software e hardware adquiridos pelo cliente. Um pacote do gênero "Office", por exemplo, pode custar um dólar por hora incluindo uso de processador de texto, planilha e acesso à internet com processadores de dois ou três núcleos e um nível médio de performance gráfica. Já um pacote do tipo "Gamer", com mais núcleos de processamento disponíveis e placa gráfica 3D poderia custar 1,25 dólar por hora.

"Tanto usuários como fornecedores podem se beneficiar deste novo modelo de negócios", argumenta a Microsoft . “O consumidor é capaz de migrar para um novo nível de performance conforme necessite com o tempo, enquanto o fornecedor pode gerar uma linha de negócios que vai oferecer, de fato, maior valor em relação ao modelo de venda única praticado atualmente."

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail